VÍDEO: Quebra de sigilo revela indícios de ‘rachadinha’ nos gabinetes de Jair e Carlos Bolsonaro

A anatomia da rachadinha nos gabinetes de Jair, Flávio e Carlos Bolsonaro. Foto: Reprodução/UOL

O UOL teve acesso aos dados da quebra de sigilo bancário e fiscal de pessoas e empresas ligadas ao senador Flávio Bolsonaro.

O portal revela como a ‘rachadinha’ era um esquema familiar: saques e transferências mostram indícios do esquema nos gabinetes de Jair e Carlos Bolsonaro, similares aos praticados pelos assessores de Flávio.

Entre eles, alguns funcionários transitavam nos gabinetes dos membros da família: é o caso de Andrea Valle, cunhada de Jair Bolsonaro.

A ex-mulher de Bolsonaro Ana Cristina Valle sacou todo o dinheiro acumulado na conta da irmã, Andrea, R$ 54 mil.

Ela trabalhou mais de 8 anos no gabinete de Jair (1998-2006), à época deputado federal, e dois anos no de Carlos Bolsonaro (2006-2008).

Quatro assessores de Bolsonaro, quando ele atuava na Câmara, sacaram R$ 551 mil em dinheiro vivo, mais um indício de ‘rachadinha’.

Saques de assessores de Carlos Bolsonaro também revelam indícios do esquema em seu gabinete: quatro funcionários retiraram R$ 570 mil, 87% de seus salários em dinheiro vivo.

A quebra de sigilo mostrou ainda que a ex-chefe de gabinete de Flávio pagou alguns meses do aluguel de Léo Índio, primo dos filhos do presidente.