VÍDEO: Randolfe mostra indícios de que governo Bolsonaro boicotou vacina da Pfizer para favorecer a Covaxin

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Covid, apresentou à comissão um documento indicando que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria modificado uma medida provisória que visava acelerar a compra de vacinas.

“Não sabíamos o que estava escrito neste documento. Embaixo tem uma anotação: sem cláusula de garantia/seguro a aquisição das vacinas da Janssen e da Pfizer ficam inviabilizadas”, declarou Randolfe.

“Dia 6 de janeiro saiu a medida provisória 1026 sem a cláusula de garantia de seguro e, com isso, não foi possível adquirir as vacinas da Pfizer e da Janssen em janeiro, que só vieram a ser adquiridas após projeto de lei do Congresso Nacional em março”, completou.

O senador disse ainda que o representante da Covaxin estava na Índia naquele 6 de janeiro: “Uma das razões que ele alegou na Índia [para o desenvolvimento do imunizante], segundo descrição da embaixada brasileira no país, e que ele afirmou às autoridades, foi que nós queremos desenvolver a vacina da Bharat Biontech, através da Precisa, para inviabilizar, impedir, quebrar o monopólio da Pfizer”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!