Virgem na vida pública, Amoêdo lança livro de memórias sobre política

João Amoedo em ato político
João Amoêdo (no centro) faz caminhada na orla do Rio com Marcelo Trindade (à esq.) e Bernardinho – Divulgação
É certo que se o sujeito não for meio canastrão não chega nem a síndico de prédio.
Mas também não precisa exagerar e fazer como João Amoedo, dono do Novo.

LEIA também:

1. Amôedo acredita em 3ª via e lança fake news contra o PT: “Não querem o impeachment”

2. Apagão atinge cidades no Rio, SP e Minas Gerais
3. Por que a direita do Brasil tem medo de Paulo Freire?
O cidadão cuja grande obra foi acumular R$ 425 milhões de patrimônio – isso oficialmente, como é vendido em suas palestras – está organizando para lançar um livro de memórias sobre sua trajetória política e sua visão sobre a vida pública.
Em “Sem atalho”, segundo o colunista Guilherme Amado, do portal Metrópoles, Amoêdo aborda sua infância e seus tempos de faculdade, passa pela vida empresarial e conta por que decidiu entrar na política.
Certamente não está no catatau, mas uma boa lição que poderia passar a seus fãs era recorrente nas orientações que o velho Ulisses Guimarães dava aos jovens interessados em ingressar na política.

Conselho do Senhor Diretas

“Comece se candidatando a alguma coisa e vença a eleição, nem que seja para vereador em sua cidade”, dizia o Senhor Diretas. “Não se faz política sem mandato. Político sem mandato nem o vento bate nas costas”.
Amoedo, que nunca foi nada, é virgem na vida pública. Mas não precisa de mandato para fazer política – ele já tem dinheiro.
“Sem atalho” sai agora em outubro, exatamente a um ano da eleição.