“Visionários da Quebrada”, a transformação que vem das periferias

POR SÔNIA MAIA

O documentário Visionários da Quebrada terá exibição especial no CineSesc Augusta-SP, nesta terça-feira, dia 23 de julho, às 21h. A sessão será seguida de roda de conversa sobre o tema “a transformação que vem das margens”, com a diretora Ana Carolina Martins, comunicadora e educadora com mais de dez anos de experiência na área de empreendedorismo e inovação social; e os protagonistas Fabiolol Barbosa, arte educador e empreendedor do Espaço Cultural Brasilândia e parte do coletivo Samba do Bowl, e Dimas Reis Gonçalves, educador e empreendedor do espaço Preto Império.

“Ser transformador é provocar que cada vez mais pessoas também sejam visionárias”, narra Dimas Reis no filme. O evento é gratuito, com retirada de convites com uma hora de antecedência.

Narrando suas próprias histórias, o documentário “Visionários da Quebrada” mostra mentes criativas e ações transformadoras, um encontro com outros olhares sobre pessoas, filosofias, práticas e relações produzidas nas periferias da cidade de São Paulo.

A partir da diversidade desses dez protagonistas e coletivos, ativistas na moda, na educação, gastronomia, dança, comunicação, sustentabilidade, gênero, entre tantos outros temas ali presentes, novos imaginários e narrativas são propostas sobre os saberes e viveres das margens, revelando a potência de pessoas extraordinárias que, na construção cotidiana, fortalecem valores e práticas para promoverem mudanças reais em suas comunidades.

O filme acaba de ser selecionado para o “Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul Brasil, África e Caribe e outras Diásporas”, do Centro Afro Carioca de Cinema. Sua exibição especial no CineSesc nesta terça-feira marca, também, o aniversário de um ano de sua primeira exibição e o início da distribuição em circuitos de impacto social e redes de engajamento, através de uma parceria com a distribuidora Taturana, que surgiu em 2013 com o objetivo democratizar o acesso ao cinema e potencializá-lo como ferramenta de impacto social.

Pulsante, suave em sua força, o filme tem chamado a atenção de nomes como o cineasta e documentarista Silvio Tendler, foi eleito pela Revista Bravo um dos melhores de 2018, e levou o Vereador Eduardo Suplicy a promover um evento na Câmara do Vereadores de São Paulo especialmente dedicado para impulsionar o “Visionários da Quebrada” entre influenciadores na área de cinema no Brasil.

Entre as convidadas, estavam Joice Berth, escritora e intelectual negra, e uma das protagonistas do Visionários, a educadora e ativista da Causa da Criança e Adolescente, Rose Modesto.

O filme vem, ainda, inspirando diversas ações de EduComunicação nos territórios, escolas, centros culturais de São Paulo e outras cidades do país.

Entre elas está a parceria a convite do Diversitas – Núcleo de Estudos das Diversidades, Intolerância e Conflitos, da Universidade de São Paulo (USP), que disponibilizou seu espaço para exibições e passou a usar o documentário no material das disciplinas do Núcleo como referência de produção partilhada de conhecimento.

O “Visionários da Quebrada” foi idealizado e dirigido por Ana Carolina Martins e produzido pelo coletivo de mesmo nome, formado, majoritariamente, por mulheres negras das periferias. A diretora, recentemente descrita pelo portal “Razões para Acreditar” como uma mulher que impacta através de sua oratória, organiza pensamentos complexos e fala de coisas “acadêmicas” de uma forma que aproxima as pessoas, conversou com o DCM sobre o filme e seus protagonistas.

Sobre o documentário e sua inserção no mundo do cinema e do audiovisual, resumiu Ana Carolina: “Estamos reafirmando a importância e a urgência de renovar os narradores – que outras pessoas possam contar a história do mundo. Como diria Grada Kilomba, em Memórias da Plantação: ‘…enquanto escrevo, eu me torno a narradora e a escritora da minha própria realidade, a autora e a autoridade na minha própria história. Nesse sentido, eu me torno a oposição absoluta do que o projeto colonial predeterminou…’. Tenho certeza que quando eu, ou Karoline Maia, Roberta Estrela D’Alva, Valter Rege, Day Rodrigues, e tantas outras diretoras e diretores negros, periféricos, contamos e narramos nossas histórias, estamos criando vozes de Brasis que nunca foram ouvidas! As vozes de um Brasil de milhões! E nossas histórias, legítimas, vivenciadas por nós e pelos nossos, que é sentida…essa história não precisa de artifícios para ser potência. O que nos falta são espaços, que ainda hoje somente poucos podem ocupar”.

Sobre os protagonistas que compõem o documentário, retratou: “Eles não estão trabalhando com causas. Estão ali propondo outras formas de se relacionar: usam da própria vida, da própria existência para promover mudanças. É a história contada a partir de quem vive a história. E nossas histórias transformam quando são contadas por nós.”

Nesta terça-feira, no CineSesc, 21:00hs, retirada de ingressos grátis com uma hora de antecedência… Disse um recente amigo para quem apresentei o filme: “de importância gigantesca!” 

Serviço:

Documentário “Visionários da Quebrada”

Classificação: 10 anos

Data: Terça-feira, 23 de julho

Horário: 21:00hs

Gratuito (distribuição de ingressos para credencial plena com 1h30 de antecedência, e 1h para o público geral).

Capacidade: 279 lugares

Local: Rua Augusta, 2075, Cerqueira César, São Paulo (SP), Telefone (11) 3087-0500

Acessibilidade universal

sescsp.org.br 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!