Vivemos um momento sinistro: a administração messiânica julga ter eleito um ditador. Por Pedro Cardoso

Pedro Cardoso e Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/YouTube/TV Cultura

Publicado originalmente no Instagram do autor

POR PEDRO CARDOSO, ator

Bom dia, embora…

Acho que falaremos por muito tempo da famigerada reunião ministerial do dia 22. São tantos os pontos que merecem a nossa atenção que vai nos tomar enorme tempo observa-los todos. Mas antecipo a sensação que, acredito, nos ficará; e ela não é novidade para mim: os nascidos nesse chão sem pátria encontram-se em meio a uma guerra de gangues pela posse do milionário Estado brasileiro.

Mas a reunião traz uma novidade: a crença dos mentirosos em sua mentira salvadora é sincera. Eles de fato se creem vítimas de um comunismo ameaçador desde de 64; e justificam armar-se para se defenderem dele.

Qualquer pessoa que viva na realidade sabe que essa ameaça é uma mentira que eles mesmo inventaram mas na qual parecem mesmo acreditar. São eles que ameaçam a liberdade, foram eles que decretaram o AI-5, torturaram e mataram opositores nos porões dos quartéis e, no entanto, eles se dizem ameaçados e em defesa da liberdade.

Toda vez que as regras – já tão precárias – da democracia os impõe limites, eles as entendem como uma restrição a liberdade deles! Eles odeiam o congresso e o STF, não pelos defeitos que têm, mas justamente pelas acidentais qualidades que ainda têm. A administração messiânica julga ter eleito um ditador; e os militares, como sempre, veem a democracia como um constrangimento a vontade deles de moldar o país ao desejo deles; constrangimento que eles se impõe tolerar para desculparem depois a sua ação autoritária como tendo sido necessária para manter a ordem que eles mesmos destruíram com a sua administração irresponsável. Um momento sinistro. Do outro lado são também poucas as vozes confiáveis, e menos ainda as vozes lúcidas, e, ainda menos, as vozes novas. O que fazer para escapar a guerra civil na qual só está armado a lado dos nazifascistas?

Estamos todos nos perguntando. Cuidarmos das eleições municipais, é o que devemos fazer, na minha opinião. Contra armas, o voto.

Quem são os candidatos confiáveis? Melhorar a administração das prefeituras é o que podemos fazer por agora.

Então, alguém ai já tem tem um candidato?

View this post on Instagram

Bom dia, embora… Acho que falaremos por muito tempo da famigerada reunião ministerial do dia 22. São tantos os pontos que merecem a nossa atenção que vai nos tomar enorme tempo observa-los todos. Mas antecipo a sensação que, acredito, nos ficará; e ela não é novidade para mim: os nascidos nesse chão sem pátria encontram-se em meio a uma guerra de gangues pela posse do milionário Estado brasileiro. Mas a reunião traz uma novidade: a crença dos mentirosos em sua mentira salvadora é sincera. Eles de fato se creem vítimas de um comunismo ameaçador desde de 64; e justificam armar-se para se defenderem dele. Qualquer pessoa que viva na realidade sabe que essa ameaça é uma mentira que eles mesmo inventaram mas na qual parecem mesmo acreditar. São eles que ameaçam a liberdade, foram eles que decretaram o AI-5, torturaram e mataram opositores nos porões dos quartéis e, no entanto, eles se dizem ameaçados e em defesa da liberdade. Toda vez que as regras – já tão precárias – da democracia os impõe limites, eles as entendem como uma restrição a liberdade deles! Eles odeiam o congresso e o STF, não pelos defeitos que têm, mas justamente pelas acidentais qualidades que ainda têm. A administração messiânica julga ter eleito um ditador; e os militares, como sempre, veem a democracia como um constrangimento a vontade deles de moldar o país ao desejo deles; constrangimento que eles se impõe tolerar para desculparem depois a sua ação autoritária como tendo sido necessária para manter a ordem que eles mesmos destruiram com a sua administração irresponsável. Um momento sinistro. Do outro lado são também poucas as vozes confiáveis, e menos ainda as vozes lúcidas, e, ainda menos, as vozes novas. O que fazer para escapar a guerra civil na qual só está armado a lado dos nazifascistas?, estamos todos nos perguntando. Cuidarmos das eleições municipais, é o que devemos fazer, na minha opinião. Contra armas, o voto. Quem são os candidatos confiáveis? Melhorar a administração das prefeituras é o que podemos fazer por agora. Então, alguém ai já tem tem um candidato?

A post shared by Pedro Cardoso (@pedrocardosoeumesmo) on

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!