A sabedoria do Mágico de Oz

A mensagem da história lembra Sócrates: você não é nem melhor nem pior que ninguém

O mágico de Oz (1939)

Há um momento intensamente filosófico, sábio em “O Mágico de Oz”.

Já vou contar.

Antes, digo que fiz questão de assistir à nova montagem em Londres, no belo Palladium, um dos teatros mais antigos e historicamente relevantes do West End, a área central de Londres que congrega os musicais.

Isso porque, com minha caçula Camila, assisti à escolha, num programa da BBC, da garota que ia interpretar Dorothy, o papel principal da peça. No final deste texto, você encontra um vídeo do programa em que Danielle, a vencedora, interpreta um número.

Agora sim.

O momento filosófico se dá quando os amigos de Dorothy se queixam de suas limitações. Um deles se acha burro.

Diz o mágico: “Em minha terra as pessoas não são mais inteligentes que você. Mas têm uma coisa que você não tem. Um diploma.” E então passa ao infeliz um diploma, que prontamente eleva sua auto-estima.

Um outro lamenta ser covarde.

Diz o mágico: “Em minha terra as pessoas não são mais corajosas que você. Mas têm uma coisa que você não tem. Uma medalha.” E então passa ao infeliz uma medalha, que prontamente eleva sua auto-estima.

A sabedoria do mágico é digna de Sócrates.

Tendemos a achar que somos piores que os outros. Não somos. Quase sempre apenas não temos os adornos que são a marca do mundo em que vivemos – diplomas, medalhas e outras coisas que nos fazem pensar que nos elevamos sem que, na verdade, saiamos do chão.

O que o mágico estava dizendo aos sofredores era no fundo isso: “Vocês não são melhores do que ninguém. Mas também não são piores.”

É uma maneira perfeita de encarar a vida.

Este texto foi publicado no Diário do Centro do Mundo em 01 de maio de 2011.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!