“Vontade de encher sua boca de porrada”: este é o “Jair Paz e Amor”. Por Fernando Brito

Publicado originalmente no Tijolaço

Por Fernando Brito

Mais tolo do que achar que Jair Bolsonaro pode vir a ser o pai dos pobres, é pensar que ele, por conveniência política, possa adquirir hábitos civilizados.

Hoje, em visita à feirinha da Catedral de Brasília, ao ser perguntado por um repórter de O Globo sobre os cheques de Fabrício Queiroz depositados na conta de sua mulher, Michelle, saiu-se no melhor estilo do que é: um valentão de porta de botequim, corajoso quando está cercado por sua turma:

— [tenho] vontade de encher sua boca com uma porrada!

Por sorte, nenhum dos fanáticos que o seguiam teve a ideia de pôr em pratica o desejo do presidente, exposto tão claramente.

Ou que o repórter, até então insistente mas civilizado, não tenha respondido na base em que Bolsonaro entende: “dá que vai levar outra”.

O país correria o risco de um pugilato presidencial.

Tornou-se um risco físico ser escalado para cobrir as movimentações do presidente, mas talvez valesse a pena para a informação dos brasileiros, pois, antes do coice, Bolsonaro havia reagido à pergunta indagando sobre os supostos entrega de dinheiro pelo doleiro Dario Messer à família Marinho, dona da Rede Globo.

Veja, abaixo, o vídeo do edificante momento produzido por Jair Bolsonaro:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!