Weintraub agora diz que não falou que a Aspirina, criada em 1899, foi feita pelos nazistas. Eis o vídeo de sua mentira

O ministro da Educação Abraham Weintraub deu piti no Twitter alegando que não disse que a Aspirina, assim como o Fusca/Porche (sic) e a BMW “foram feitos entre 1933/45”.

Mentira.

A frase de Weintrab na Jovem Pan é a seguinte: “A aspirina foi feita pelos nazistas. Eu uso por quê? Porque funciona” (veja no pé deste artigo).

Está lá no próprio site da Bayer que a criação é de 1899:

Médicos, como Kurt Witthauer e Julius Wohlgemuth da Universidade de Leiden, realizaram os primeiros estudos clínicos com o ácido acetilsalicílico. 

O primeiro a publicar seus achados foi Witthauer no artigo “Aspirin ein neue Salicyl-preparat” – (“Aspirina, um novo preparado salicílico”). 

Estes primeiros estudos demonstraram que o ácido acetilsalicílico possuía uma eficácia analgésica no alívio da dor de cabeça, superior ao ácido salicílico. 

Foi Heinrich Dreser quem deu o nome de Aspirina®ao acetilsalicílico: O “A” vem de acetil, a segunda sílaba “spir” faz uma alusão a Spiraea ulmaria, nome científico da planta de onde pode se obter ácido salicílico, e por fim o sufixo “in”, comumente utilizado na época. 

Em 1º de fevereiro, o nome Aspirin® é submetida a registro de marca no Escritório Imperial de Patentes em Berlim. Em 6 de março o Escritório Imperial de Patentes em Berlim concede a Aspirina® o registro de marca comercial de número 36433. 

A Aspirina® começa a ser produzida na fábrica em Elberfeld, um distrito da cidade de Wuppertal, Alemanha. 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!