Alckmin prevê Doria isolado em 2022

Veja Alckmin e Doria
Alckmin e Doria. Foto: Alexandre Carvalho/A2img/Fotos Públicas

Na conversa depois da reunião com líderes sindicais nesta segunda (29), Geraldo Alckmin (de saída do PSDB) traçou um mapa sobre as eleições com Lula (PT), Jair Bolsonaro (sem partido), Sergio Moro (Podemos) e João Doria (PSDB). E foi crítico com o governador de São Paulo, segundo a Coluna Painel de Camila Mattoso na Folha de S.Paulo.

LEIA MAIS:

1 – Bolsonaro está tenso com bomba de Moro, diz aliado

2 – Moro vai à guerra contra Bolsonaro e promete bomba

3 – União Brasil rejeita aliança com Moro e quer acordo com Eduardo Leite

Alckmin fala de Doria, que o traiu

O ex-governador teria dito, segundo presentes, que o tucano acabará isolado em 2022, sem apoio de partidos.

Nesse desenho, Lula ficaria com os partidos de esquerda e centro-esquerda e Bolsonaro, com o centrão, disputando o apoio da direita e da centro-direita com seu ex-ministro da Justiça.

Eles romperam em 2018, depois que o então aliado começou a tentar surfar na onda bolsonarista enquanto o primeiro turno das eleições presidenciais ainda estava em disputa.

No encontro desta segunda (29), o ex-governador fez uma leitura do contexto político da Alemanha que soou aos presentes como referência positiva à possibilidade de ser vice em chapa presidencial encabeçada por Lula em 2022.

Ex-governador disse que o Brasil precisa de acordos e coligações, e citou o acerto a partir do qual Olaf Scholz, do SPD, foi escolhido como sucessor da primeira-ministra Angela Merkel, CDU. Os partidos são rivais.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link 

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link