Presidente da Anvisa diz que Argentina ignorou orientação para quarentena e deportação de jogadores

Galvão Bueno telefonou para o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, para entrevistá-lo sobre a interrupção do jogo entre Brasil e Argentina.

A partida foi interrompido por técnicos da agência e pela PF neste domingo (05).

Torres declarou que quatro jogadores argentinos deveriam ter sido deportados por terem entrado no Brasil de forma ilegal e infringido regras sanitárias.

Ele afirmou ainda, que além da deportação, os atletas devem ser multados.

Anvisa foi ignorada

“Os jogadores ao chegarem no Brasil apresentam a declaração de Saúde do viajante, lá não constavam que eles tinham passado pelos EUA, Reino Unido ou Índia”, afirmou ele.

Os três países possuem restrições como medida para contenção da pandemia de Covid-19.

Os jogadores são: Emiliano Martínez, Buendía, Cristian Romero e Lo Celso.

Eles não teriam informado às autoridades sanitárias que estavam na Inglaterra no último fim de semana.

Segundo a Portaria Interministerial nº 655, de 23 de junho de 2021, os atletas deveriam cumprir quarentena ao chegarem ao Brasil, pois a Inglaterra é considerada área restrita.

Área restrita

Posteriormente, a Anvisa descobriu, por meio do passaporte, que eles tinham passado pelo Reino Unido.

Contudo, apesar da orientação para deportação ter sido emitida, a Anvisa foi ignorada pela Argentina.

Leia mais:

1 – VÍDEO: Caminhões de transporte de gado seguem para ato golpista em Brasília

2 – Kakay: “7 de setembro é um divisor de águas. Eles são perversos e não devemos enfrentá-los no campo deles”

3 – STF e Centrão avisam que 7 de setembro golpista afetará Bolsonaro em 2022

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!