Arthur Lira quer ser presidente e por isso não pauta o impeachment

Arthur Lira em discurso
Arthur Lira quer virar presidente. Foto: Reprodução

O discurso de Arthur Lira pegou mal para boa parte dos políticos, mas foi milimetricamente planejado. O chefe do Poder Legislativo quer virar presidente da república e está trabalhando nos bastidores para conseguir. E para isso, não pode pautar o impeachment de Bolsonaro.

O DCM conversou com aliados do presidente da Câmara e, mesmo antes do pronunciamento, já se sabia o que viria. E não iria vir o anúncio da abertura do impeachment porque Lira sabe que isso o prejudica. Derrubar Bolsonaro por meio do Congresso significa dizer que ele nunca conseguirá virar presidente da república.

Um dos nomes do Centrão, que apoia Lira, explicou a ginástica política para ele assumir o cargo do Executivo. O presidente da Câmara não quer pautar o impeachment, mas trabalha nos bastidores pela queda de Bolsonaro. Isso porque ele entende que não há mais clima para levar o mandato até o fim.

Leia mais:

1 – Engajamento de Carlos Bolsonaro nas redes despenca há dois meses

2 – Podemos decide não apoiar impeachment de Bolsonaro após atos golpistas

3 – Acredite se quiser: Aras diz que 7 de setembro foi ‘festa cívica’

O que quer Arthur Lira

Mas Arthur Lira viu na crise uma oportunidade de ganhar envergadura, virando presidente por pelo menos um ano. A estratégia é clara, ele quer que o TSE casse a chapa Bolsonaro-Mourão e defende que o vice tem os mesmos pensamentos do chefe.

Como Mourão é das Forças Armadas, o argumento é de que ele seguiria como uma ameaça à democracia. Nesse sentido, Lira aposta que o Tribunal Eleitoral casse a chapa e derrube presidente e vice de uma vez. Assim, o próximo da sucessão é ele.

O acordo que Arthur Lira costura é de não ficar impedido de tomar posse. Isso porque ele é réu no STF e a Constituição impediria que ele assuma o cargo. Mesmo assim, ele vem dando dicas a interlocutores para chegar ao Supremo sua ideia. Caso o STF garanta que ele poderá assumir, o deputado irá se comprometer a fazer um mandato tampão. Ou seja, ele não tentará a reeleição. É essa a aposta e por isso não há chance de impeachment neste momento.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!