Bolsonaristas estão furiosos e sugerem até acabar com ENEM: “Provocação ao presidente”

Bolsonaro escrevendo enem
Foto: Reprodução

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro ficaram furiosos com o primeiro dia de provas do Enem 2021, realizado neste domingo (21). Em especial, bolsonaristas se zangaram com uma questão que trouxe  trecho da música “Admirável Gado Novo”, do cantor Zé Ramalho.

Segundo apurou o DCM, aqueles que são conhecidos como “gado” de Bolsonaro reconheceram a canção como uma “provocação ao presidente” e seus apoiadores. Em um grupo de bolsominions, mensagens articulam boicote ao próximo Enem. Bolsonaristas sugerem um substituto para o exame.

A polémica começou após acusações de servidores do Inep, orgão que organiza o Enem, de interferências na prova. No início deste mês, 37 funcionários pediram demissão do instituto. Uma semana depois, Bolsonaro afirmou que as questões “começam agora a ter a cara do governo“.

Leia também:

1- PSDB não descarta ataque hacker em prévias do partido

2- Acusado de estupro, Kevin Spacey é condenado a pagar valor milionário à produtora de House of Cards

3- Lula vence Bolsonaro em Minas Gerais, considerado estado chave para a eleição, diz pesquisa

Bolsonaro nega interferência no Enem

Em conversa com apoiadores, nesta segunda-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro negou que tenha interferido na formulação das questões da prova.

O presidente sugeriu que questões ideológicas teriam aparecido no exame como demonstração de que seu governo não censurou perguntas. “Tão acusando aí o ministro Milton [Ribeiro] de ter interferido na elaboração das provas. Ora, se ele tivesse a capacidade e eu não teria nenhuma questão de ideologia nessa prova, que teve ainda. Você é obrigado a aproveitar o banco de dados de anos anteriores”, afirmou.

O presidente, no entanto, voltou a se contradizer e disse que atuou para alterar o teor das perguntas e que já é possível observar os primeiros resultados neste teste. “Agora dá pra mudar? Já está mudando. Vocês não viram mais a linguagem de tal tipo de gente com tal perfil. Não existe isso aí. A linguagem do que o cara faz entre quatro paredes é problema dele. Agora, não tem mais aquilo de linguagem neutra de não sei de quem. Não tem mais”, disse.

Além de Zé Ramalho, o exame teve perguntas sobre racismo, escravidão, erotização da mulher e questão indígena. Confira AQUI.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link