VÍDEO: Bolsonaro é tratado pela imprensa russa como aliado de Putin

Atualizado em 28 de fevereiro de 2022 às 18:35
Bolsonaro é tratado pela imprensa russa como aliado de Putin. Ele aparece em foto falando para alguém, com expressão marcante.
Notícias foram veiculadas na manhã desta segunda com trechos da fala do presidente. Foto: Alan Santos / PR

As falas do presidente Jair Bolsonaro (PL) foram interpretadas pela imprensa russa como favoráveis ao governo Putin. O discurso do último domingo (27) foi repercutido por veículos de comunicação da Rússia como sendo de apoio ao Kremlin.

Diferente dos Estados Unidos e da Europa, as opiniões de Bolsonaro durante a coletiva de imprensa na noite de ontem não foram condenando à Rússia. O presidente disse que é um “exagero” chamar de massacre o que tem ocorrido na Europa e disse que o Brasil precisa “ter responsabilidade” em relação aos negócios com a Rússia, porque depende, por exemplo, da indústria de fertilizantes.

“Eu entendo que não há interesse por parte do líder russo de praticar um massacre. Ele está se empenhando em duas regiões do Sul da Ucrânia que, em referendo, mais de 90% da população quis se tornar independente, se aproximando da Rússia. Uma decisão minha pode trazer sérios prejuízos para o Brasil”, foi o que disse o presidente na entrevista de ontem.

Leia mais:

1 – Bolsonaro desmente a si mesmo e ataca imprensa

 

2 – Bolsonaro desmente a si mesmo e ataca imprensa

 

3 – Candidato em SP, carioca Tarcísio foi o ministro de Bolsonaro que mais viajou

Bolsonaro ainda criticou Volodymyr Zelensky

O chefe do Executivo brasileiro ainda ironizou o presidente da Ucrânia ao dizer que o povo ucraniano “confiou em um comediante”.

“O comediante que foi eleito presidente da Ucrânia, o povo confiou em um comediante para traçar o destino da nação. Eu vou esperar o relatório da ONU para emitir a minha opinião”, afirmou.

A RIA Novosti, uma das principais agências de notícias da Rússia, publicou nesta manhã a fala do presidente sobre Volodymyr Zelensky. A agência enfatizou que Bolsonaro defendeu a neutralidade em relação ao conflito e destacou a afirmação de que Bolsonaro não votará na resolução da ONU que condena Putin.

A Gazeta.Ru disse que “Bolsonaro não condena a Rússia por causa da Ucrânia” e o RT, ligado ao Kremlin, disse que “as autoridades brasileiras não apoiarão resoluções anti-russas na ONU”.

Assista ao vídeo:

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram clique neste link