Bolsonaro reage mal à pesquisa encomendada por bolsonaristas: “Vou perder?”

Bolsonaro com as mãos erguidas e gritando
Bolsonaro desesperado ao receber pesquisa interna – Foto: Reprodução

Bolsonaro não reagiu nada bem a uma pesquisa de intenção de voto a que ele teve acesso nesta semana. O levantamento não foi tornado público e teve a encomenda de aliados bolsonaristas. A intenção era acalmar os ânimos e mostrar que os institutos estavam exagerando a favor de Lula e contra ele. O resultado não foi o esperado e deixou todos no governo apreensivos.

“Eu vou perder?”, teria dito Bolsonaro a Ciro Nogueira quando viu os números em seu gabinete. O ministro, segundo um interlocutor, tentou acalmar os ânimos e explicado ao presidente que é uma fotografia. Na visão da cúpula do Governo, a situação é delicada, mas plenamente reversível. Ao menos foi o que disseram para acalmar Bolsonaro.

Acontece que os números incomodaram muito o presidente. A princípio, ele chegou a cogitar usar a tropa de choque das fake news para tomar alguma atitude. Mas, uma fonte confirmou ao DCM que a ideia foi deixada de lado. Isso porque, a cúpula do governo, o Centrão, acredita que o momento é para moderar, não radicalizar.

Leia mais:

1 – Quanto custou a viagem de Mourão que tratou de crise da Universal em Angola

2 – Balcão de Michelle é original porque mostra o Brasil nivelado por baixo e bancado por 57 milhões de cúmplices

3 – Senadores de direita criticam Fakhoury por ataque homofóbico a Contarato

Bolsonaro perde em pesquisa interna

O DCM teve acesso a parte dos resultados da pesquisa interna encomendada pelos bolsonaristas. Nela, Bolsonaro aparece com 27% das intenções de voto e Lula com 39%. A distância, na visão deles, nem é tanta assim e pode ser revertida. Há um ponto que preocupa o primeiro turno, no entanto. No levantamento, o petista aparece com 44% dos votos válidos e há o medo dele vencer já no primeiro turno.

O problema se dá no segundo turno, em que Bolsonaro teria 38%, enquanto Lula saltaria para 53%. Além disso, a rejeição ao presidente, segundo os dados, é de 54%. Isso significa dizer que ele não tem voto suficiente para vencer, já que a maioria não votaria de jeito nenhum.