Depoente da CPI, Danilo Trento é suspeito de ser “sócio oculto” da Precisa

Danilo Trento é suspeito de ser "sócio oculto" da Precisa
Danilo Berndt Trento. Foto: Reprodução

A CPI da Covid ouve nesta quinta (23) Danilo Trento, suposto diretor da Precisa Medicamentos. O colegiado quer apurar sua relação com Francisco Maximiano, dono da empresa que intermediou a compra da Covaxin. Ele já chegou ao Senado Federal e tem um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O empresário é apontado como “sócio oculto” da Precisa, conforme revelou o DCM com exclusividade em junho.

Leia também:

1 – Como Bolsonaro reagiu à possível convocação de seu filho para a CPI

2 – Rogério Carvalho diz que vai levar ameaça de Jair Renan à CPI: “Nós não estamos de brincadeira”

Quem é Danilo Trento

O empresário de 36 anos é de Mato Grosso e tem envolvimento com a indústria farmacêutica que conecta a empresa investigada na comissão a um suplente do senador Eduardo Gomes (MDB-TO). Ele é sócio da empresa Primacial Holding e Participações LTDA, com sede em São Paulo. Sua avó, Jandira Meneguello Berndt, também aparece no quadro societário da companhia.

No mesmo endereço está a empresa Primares Holding e Participações EIRELI, cujo sócio é Francisco Maximiano. Os dois têm processo na Justiça juntos. O labirinto de empresas ainda conta com a farmacêutica Cristália, cujo sócio-fundador é Ogari de Castro Pacheco, do DEM de Tocantins.

Segundo fontes que tiveram acesso à Polícia Federal, Maximiano e Danilo viajaram juntos até a Índia para as negociações em torno dos testes de covid e da vacina Covaxin. Essa negociação chegou a envolver R$ 1,6 bilhão de empenho do governo federal para compra de 20 milhões de doses.