DCM Ao Meio-Dia: O balcão de negócios de Michelle Bolsonaro; general Santos Cruz anuncia candidatura

Veja o Daniel Cara
Daniel Cara no DCM. Foto: Reprodução/YouTube

Michelle Bolsonaro é assunto. AO VIVO. Pedro Zambarda entrevista o educador Daniel Cara, do PSOL.

LEIA MAIS:

1 – DCM Café da Manhã: Em clima de frente ampla, País se prepara para repudiar Bolsonaro

2 – Bolsonaro usou criança para fazer apologia à violência e violou o ECA, diz advogado ao DCM

3 – Alexandre Garcia é disputado por veículos bolsonaristas

Michelle no foco

Segundo a revista Crusoé, Michelle Bolsonaro agiu pessoalmente para favorecer empresas amigas e cujos donos são bolsonaristas durante a pandemia. Com o programa emergencial para facilitar o acesso a crédito, a primeira-dama gerou um atalho para os amigos. De dentro do gabinete, ela pediu para a Caixa Econômica Federal atender um grupo selecionado de empresas.

Interceder de maneira favorável a um grupo viola o princípio da impessoalidade da administração pública. O caso ainda teve a tramitação de processos em desacordo com os fluxos das operações de crédito do banco.

O esquema funcionava em uma agência de Taguatinga, cidade vizinha a Brasília. A equipe de Pedro Guimarães encaminhava as demandas de Michelle para lá. Quase todos os pedidos foram atendidos e foram enquadrados no Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), que havia sido lançada recentemente pelo governo.

Entre os amigos beneficiados pela lista da primeira-dama está a doceira Maria Amélia Campos. Ela é dona de uma rede de confeitarias em Brasília e é bolsonarista. Além de conseguir um empréstimo de R$ 518 mil, ainda conseguiu um favor para um casal de amigos.

A Derela Modas, boutique de roupas femininas, foi uma das que mais apareceu na lista de Michelle. A empresa costuma ser divulgada pela primeira-dama e por Heloísa Bolsonaro, esposa de Eduardo.

VEJA O DCM AO MEIO-DIA