“Devemos ser fiéis à missão histórica”, diz presidente da China sobre 100 anos do Partido Comunista

“Devemos ser fiéis à missão histórica”, diz presidente da China sobre 100 anos do Partido Comunista. Foto: Reprodução/Portal Vermelho

Publicado originalmente no Portal Vermelho

Xi Jinping, secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh), destacou que se deve ter sempre em consideração o rumo das lutas do Partido, assumindo a “aspiração original” da fundação e tirando força da história do Partido para seguir em frente.

LEIA – Lula quer manter contato com o Partido Comunista e diz que mundo deveria aprender com a China

Xi, também presidente chinês e presidente da Comissão Militar Central, fez os comentários no dia 18/06, durante uma visita a uma exposição sobre a história do PCCh.

LEIA MAIS – Secom omite China em ranking mundial de vacinação – e apaga lista com erro

Com o tema “Permanecer fiel à missão histórica”, a exposição estreou em 18 de junho no recém-inaugurado Museu do PCCh em Pequim, como parte das iniciativa em comemoração ao centenário do Partido.

A história do Partido é o livro didático mais vívido e convincente“, enfatizou Xi.

Nos últimos 100 anos, o PCCh cumpriu de forma inabalável sua aspiração original e a missão fundadora, trabalhando duro para lançar as bases de sua grande causa, realizando conquistas gloriosas e traçando um curso para o futuro, observou Xi.

Xi disse que é necessário estudar e revisar a história do Partido, levar adiante sua valiosa experiência, ter em mente o curso de suas lutas, assumir a missão histórica e tirar força de sua história para seguir em frente.

“Devem ser feitos esforços para educar e orientar os membros e funcionários do Partido para se manterem fiéis à aspiração original e à missão fundadora do Partido”, observou Xi.

“É necessário que eles fortaleçam sua consciência da necessidade de manter a integridade política, pensar em termos gerais, seguir o núcleo da liderança e manter o alinhamento com a liderança central do Partido, permanecer confiantes no caminho, na teoria, no sistema e cultura do socialismo com características chinesas, além de sempre seguir de perto o Comitê Central do PCCh em termos de seu pensamento, orientação política e ações”, acrescentou.

Xi exortou os membros do Partido a levar adiante as boas tradições e desempenhar seu papel exemplar na união e liderança do povo chinês, com base no novo estágio de desenvolvimento, para seguir a nova filosofia de desenvolvimento e formular um novo paradigma de desenvolvimento, para efetivamente realizar seu trabalho em promover reformas, desenvolvimento e estabilidade, e reunir forças para construir completamente uma China socialista moderna, realizando assim o sonho chinês de rejuvenescimento nacional.

Xi foi acompanhado por outros líderes, incluindo Li Keqiang, Li Zhanshu, Wang Yang, Wang Huning, Zhao Leji, Han Zheng e Wang Qishan durante a visita.

Liderados por Xi, os líderes renovaram o juramento de admissão no Partido.

A exposição apresenta quatro partes, a saber: 1) a fundação do PCCh e a vitória da Nova Revolução Democrática; 2) a revolução socialista e a fundação da República Popular da China (RPC); 3) a reforma e abertura e o início do socialismo com características chinesas; e 4) levando adiante o socialismo com características chinesas em uma nova era, construindo uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos e embarcando em uma nova jornada para construir completamente um país socialista moderno.

Mais de 2.600 fotos e mais de 3.500 peças ou conjuntos de exposições refletem a jornada extraordinária de 100 anos da trajetória do PCCh.

Xi e outros líderes mergulharam nas exposições, arquivos, fotos e vídeos exibidos e aprenderam sobre eles em detalhes.

Entre os itens estão o manuscrito das notas de Karl Marx em Bruxelas, e cenas de restauração do primeiro Congresso Nacional do PCCh e o famoso Encontro Zunyi durante a épica Longa Marcha (1934-1936).

Também estão em exibição painéis mostrando o estabelecimento de bases revolucionárias, imagens da cerimônia de fundação da República Popular da China e armas usadas durante a ajuda à Coreia na Guerra para resistir à agressão dos EUA (1950-1953).

A exposição também apresenta gráficos de dados relacionados à redução da pobreza e modelos dos hospitais Huoshenshan e Leishenshan construídos em Wuhan para combater a epidemia de COVID-19 em 2020.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!