Diálogos evidenciam que morte de Teori, obstáculo à Lava Jato no STF, precisa ser investigada. Por Kiko Nogueira

Destroços do avião que caiu no mar de Paraty e matou o ministro do STF Teori Zavascki e mais quatro pessoas em 19 de janeiro de 2017 (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Os novos diálogos revelados pelo Intercept em parceria com a Folha mostram que Teori Zavascki era um obstáculo aos avanços da Lava Jato.

Os procuradores se articularam para proteger Moro e evitar que tensões entre ele e o STF paralisassem as investigações num momento crítico em 2016.

A divulgação de papéis encontrados pela PF na casa de um executivo da Odebrecht poderia acirrar o confronto com o Supremo. 

Dezenas de políticos que tinham direito a foro privilegiado só podiam ser investigados com autorização da corte.

Moro e os amigos da força tarefa temiam que Teori Zavascki, relator da Lava Jato, desmembrasse os inquéritos que estavam sob controle de Moro em Curitiba e os esvaziassem.

Teori, fica claro em mais uma leva de conversas, era um problema para os cruzados.

O MBL chegou a colocar seu contato nas redes sociais e esticar uma faixa chamando-o de traidor em frente a seu condomínio.

Moro pediu para Dallagnol ajudá-lo a conter “os tontos”.

Sua morte num acidente de avião com um picareta amigo na baía de Paraty, em janeiro de 2017, aliviou a barra e liberou geral.

O DCM fez uma série de reportagens sobre a relação de Teori e o dono da aeronave, o empresário Carlos Alberto Filgueiras, cujo hotel Emiliano foi penhorado por causa de golpes.

Foi substituído por Edson Fachin, também do Paraná, que tornou tudo um passeio no parque para a República de Curitiba.

Em 2019, apenas dois anos depois da tragédia, o Ministério Público Federal pediu à Justiça o arquivamento do caso.

No comunicado com a Polícia Federal, os procuradores afastaram totalmente a hipótese de sabotagem do bimotor.

Todo tipo de teoria conspiratória foi aventada sobre o acidente.

A maioria, estapafúrdias. Pode ter sido providência divina, até, para os lavajatistas.

Há uma semana, o filho de Teori questionou a necessidade de ordem judicial para investigar celulares de Moro e Dallagnol.

Para que não pairem quaisquer dúvidas, é de bom tom que as investigações sejam retomadas pelo ministro Sergio Moro.

Eis um trechos dos diálogos revelados por Intercept e Folha:

Horas depois, Deltan voltou a escrever a Moro. Informou que havia protocolado petição pedindo a remessa dos processos ao STF, disse que a polícia não agira com má-fé ao tornar a lista de políticos pública e prometeu ajuda para defender Moro contra questionamentos no CNJ (Conselho Nacional de Justiça)

Deltan (15:37:55) – Manifestação protocolada. Antes de protocolar, passou pelo ok da PGR.

Deltan  (16:04:57) – Os autos da reclamação do grampo estão indo para a PGR. Falei com pessoas de lá para trazer a bola pro chão e pra razão. A decisão do Teori ontem foi absurda. Na parte em que ele fala de responsabilização, foi teratológica. Qq decisão judicial pode ser revista para o sentido oposto em recurso. Trata-se de questão de entendimento jurídico no caso concreto. Acho provável que eles coloquem algo nesse sentido no parecer, que passará pela nossa revisão.

Deltan  (16:05:54) – Pensei na questão das planilhas e, embora a relevância seja absurda e fosse difícil não ter visto a importância, não acho que a PF colocou pra dar conhecimento público, porque só foi noticiado hoje, um dia depois. Se tivessem feito de propósito, ontem à noite estava no JN

Moro (16:07:49) – Continua sendo lambança. Não pode cometer esse tipo de erro agora.

Deltan (16:13:02) – Concordo. E sei que Vc, de todos nós, está debaixo da maior pressão. Não desanime com a decisão do Teori de ontem ou com os fatos e lambanças recentes. As coisas vão se acalmar. É um momento de ânimos exaltados. Saiba não só que a imensa maioria da sociedade está com Vc, mas que nós faremos tudo o que for necessário para defender Vc de injustas acusações. Uma das coisas que mais tenho admirado em Vc – uma nova face de suas qualidades – é a serenidade com que enfrenta notícias ruins e problemas. Se alguém tivesse te apresentado tudo o que aconteceria num caso como esses há 5 anos e te desse a opção de entrar nisso ou não, eu não tenho dúvidas de que Você entraria com tudo. Não há como estar no maior caso de corrupção que envolve os maiores interesses da República e esperar águas tranquilas. Continue firme, não desanime e conte conosco. “Smooth waters don’t make good sailors”.

Deltan (16:14:44) – E se as coisas não se acalmarem rs rs rs, continuaremos fazendo o que é certo. Conte mesmo conosco.

Moro (16:42:22) – Pressão sera grande no cnj

Moro (16:42:22) – Do caso de hoje no atual contexto vai ter que.subir zwi e santana. Min. Teori é que terá que desmembrar.

Moro (16:43:52) – Mas vou deixar para assinar apos o fim das temporarias e que nao serao então prorrogadas.

Deltan (17:09:15) – Tentaremos denunciar o qto antes pra já subir com isso. Sua previsão de decisão é na segunda, então?

Deltan (17:09:23) – Vou falar com nosso representante no CNJ

Moro (17:14:03) – Sabado ou segunda.

Deltan (17:15:49) – ok, tentaremos oferecer den até sábado e te atualizo qto à perspectiva no sábado

Faixa do MBL na frente da casa de Teori

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!