Em queda de braço com Lupi, Geraldo Alckmin se distancia do PDT de Ciro. Por José Cássio

Ciro Gomes e Carlos Lupi em reunião do PDT
Ciro e Lupi podem ser tudo menos amadores

Subiu no telhado o romance de Geraldo Alckmin e Ciro Gomes. Motivo: nenhum dos 2 aceita se movimentar para selar a união.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, em vídeoconferência com vereadores nesta semana confirmou que o partido tenta atrair o ex-governador de São Paulo para a sigla com objetivo de lançar sua candidatura em 2022.

Leia também:

1. Fragilidade de Alckmin abre espaço para o campo progressista em SP

2. Polícia fecha fábrica que vendia artigos nazistas em SC

Lideranças políticas convenceram Lupi de que a união com Alckmin seria a oportunidade de Ciro ter ‘palanque’ no estado.

O presidente nacional do PDT, porém, determinou um ponto de inflexão nas tratativas: quer que Alckmin se filie ao partido, garantindo que não aceita uma coligação na qual a candidatura presidencial pendure na de governador.

Aí está o dilema. Geraldo propõe a parceria desde que escolha outro partido e receba o aliado na coligação, a exemplo do que está acontecendo entre PT e PSOL no plano nacional.

Ciro e Lupi podem ser acusados de tudo menos de burros. São profissionais da política. Já imaginou Ciro indo fazer coligação com o PSL caso Geraldo opte pelo seu plano número 1 que é se abraçar com a patota do MBL?

Alckmin andante solitário

Noves fora, a real é que Geraldo continua carta fora do baralho. Tem medo de sair do PSDB e, andante solitário na vida pública, não tem para onde ir.