Essencial do DCM: SEXTOU COM BEMVINDO SEQUEIRA

Atualizado em 21 de janeiro de 2022 às 21:20
A imagem de Bemvindo Sequeira no DCM TV
Essencial do DCM: SEXTOU COM BEMVINDO SEQUEIRA. Foto: Reprodução/DCMTV/YouTube

Bemvindo Sequeira é assunto. AO VIVO. Kiko Nogueira e Pedro Zambarda fazem o giro de notícias. Entrevista com Bemvindo Sequeira. Veja o DCM TV.

LEIA MAIS:

1 – DCM Ao Meio-Dia: TCU mais perto do salário de Moro; Eduardo Bolsonaro detona Weintraub

2 – DCM Café da Manhã: Morre a mãe de Bolsonaro; ex-funcionário confirma esquema de rachadinha na família

3 – Jornalista da Globo se emociona ao vivo ao falar da morte de Elza Soares

Moro e Alvarez e Marsal

75% de tudo o que a consultoria Alvarez & Marsal recebe de honorários no Brasil vem de empresas ligadas à “lava jato”. A revelação, publicada pela revista Veja na noite desta quinta-feira (20/1), evidencia ainda mais o conflito de interesses do ex-juiz Sergio Moro, que, depois de deixar o serviço público, foi trabalhar para a empresa que administra a recuperação judicial da Odebrecht.

Segundo especialistas ouvidos pela ConJur, há indícios suficientes para ensejar uma investigação mais profunda da conduta do ex-juiz. Mais especificamente, a ocorrência da chamada “porta giratória”, quando um indivíduo pratica ações no serviço público que causam consequências em determinados segmentos econômicos e, depois, vai trabalhar na iniciativa privada, se beneficiando dos efeitos que ajudou a produzir.

Um dos principais argumentos de Moro e da consultoria é que o ex-juiz na atuava diretamente, na Alvarez & Marsal, nas recuperações judiciais. Para o advogado e ex-conselheiro da Comissão de Ética Pública da Presidência da República Mauro Menezes, esse argumento é “uma atitude maliciosa, para promover simulação de que ele não foi beneficiado pelo que tinha feito anteriormente”.

“A ‘lava jato’, por seu caráter espetacularizado, acabou resultando na inviabilização financeira das companhias investigadas. Por isso, pouco importa se ele trabalhou ou não na área de recuperação judicial. Ele não está impedido de trabalhar com recuperações judiciais, mas sim nessa empresa (a Alvarez & Marsal). O que importa é ele receber o dinheiro de uma empresa que ele favoreceu economicamente”, afirma.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link

VEJA O ESSENCIAL DO DCM