Conselho de Ética da Câmara do Rio vai analisar denúncias contra Carlos Bolsonaro

Publicado em 12 setembro, 2019 10:42 pm
Carlos Bolsonaro. Foto: Reprodução/Twitter

Do Correio Braziliense:

O presidente da Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, vereador Fernando William (PDT), disse ao Correio, nesta quinta-feira (12/9) que o vereador Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, poderá sofrer sanções caso fique comprovado que ele usou funcionários fantasmas em seu gabinete e praticou a chamada “rachadinha” – quando o servidor devolve parte do salário ao parlamentar.

O caso está sendo investigado em dois procedimentos abertos pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Segundo o vereador Fernando William, o caso de Carlos Bolsonaro será discutido no próximo dia 19, em reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.
“O Conselho é formado por dez vereadores. Vamos designar um ou mais vereadores para acompanhar a ação do MP do Rio de Janeiro e, se essas irregularidades foram comprovadas, o vereador Carlos Bolsonaro terá que enfrentar os procedimentos do Conselho de Ética”, disse Fernando William ao Correio, referindo-se à apuração de indícios de quebra de decoro parlamentar, o que poderá abrir caminho para a abertura de um processo de cassação do mandato.