Na China já se fala em ‘declaração de guerra’ dos Estados Unidos

Publicado em 7 dezembro, 2018 6:59 am

A Coluna de Nelson de Sá na Folha de S.Paulo informa que Hu Xijin, o arrebatado editor-chefe do tabloide Huanqiu/Global Times, ligado ao PC chinês, escreveu na rede social chinesa Weibo sobre a prisão da executiva da gigante de tecnologia Huawei: “É evidente que os EUA estão empurrando a linha de batalha até a nossa porta… Podemos considerar completamente a prisão de Meng Wanzhou como uma declaração de guerra contra a China.”

De acordo com a publicação, ecoou no site da própria Huawei e por jornais ocidentais do New York Times ao alemão Süddeutsche Zeitung, que usou a expressão em sua chamada. Em tom mais contido, o jornal de Hu Xijin manteve como manchete, ao longo da quinta, “China apela pela libertação de executiva da Huawei”. Em editorial, afirmou que os “EUA abusam de processo legal para sufocar Huawei”. O britânico Financial Times não escondeu o alarme, com manchete até mais carregada, “China exige libertação da diretora da Huawei presa sob acusações dos EUA”.

Americanos como NYT, Wall Street Journal e Drudge Report preferiram levar à manchete que a prisão derrubou a bolsa de Nova York. No primeiro, “Mercados caem com prisão que acende temor de Guerra Fria entre EUA e China”. Ao fundo, o assessor de Segurança Nacional de Donald Trump, John Bolton, admitiu à NPR que sabia desde o G20 que Meng seria presa.

Flag of the People’s Republic of China (Daderot/Wikimedia Commons)
Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.

Clique aqui e assine nosso canal no youtube