Senado quer agilizar aprovação de novo código eleitoral; saiba o que pode ser barrado

Publicado em 13 setembro, 2021 10:30 pm
Senado
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Há uma grande articulação no Senado para aprovar novo código eleitoral em 2022 e frear volta das coligações. O trabalho nos bastidores tem sido feito por líderes de partidos e do governo. O projeto precisa ser sancionado por Bolsonaro até o início de outubro deste ano para valer no ano que vem.

A Câmara deve votar nesta semana. Já alguns senadores vão receber o projeto com o objetivo de “aperfeiçoar” e não realizar “grandes reformas”. E o objetivo de outras alas é fazer muitas mudanças.

Tentar barrar a volta das coligações vai entrar em pauta, segundo a Folha de S. Paulo. O texto aprovado pelos deputados gerou críticas de senadores. Simone Tebet (MDB) é a relatora. Ela declarou que apenas vai propor mudanças se encontrar inconstitucionalidades.

Leia mais:

1 – Conselheiros querem tirar presidente da OAB após críticas a Bolsonaro

2 – Fiasco dos “protestos” do MBL. Brizola e Arraes teriam ido? Por Gilvandro Filho

3 – Bolsonaro lança programa que financiará compra de imóveis por policiais

Código eleitoral e Senado

Porém, a expectativa que o tema seja derrotado no plenário. O presidente da casa, Rodrigo Pacheco, trata a volta das coligações como um “retrocesso”. Só que o objetivo é agilizar a situação. Tanto que Pacheco receberá uma análise da proposta até o fim desta semana.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!