EUA sobre China e Rússia: estamos ‘avançando rumo a confronto’ com 2 países nucleares

Bandeiras dos Estados Unidos e China. Foto: AFP

Publicado originalmente no site Sputniknews

Pela primeira vez na história EUA estão seguindo rumo a confronto com duas adversárias com capacidades nucleares, a China e a Rússia, segundo o comandante do STRATCOM dos EUA, Charles Richard, em discurso ao Comitê de Serviços Armados do Senado.

LEIA – Principal cientista nuclear do Irã é assassinado e país responsabiliza Israel

De acordo com o chefe do Comando Estratégico dos EUA, “China e Rússia desafiam a nossa força através de uma ampla gama de atividades que requerem uma resposta concentrada e integrada do governo. Pela primeira vez em nossa história, a nação [norte-americana] está avançando rumo a confronto com duas adversárias estratégicas que ao mesmo tempo têm capacidades nucleares, mas que devem ser dissuadidas de maneiras diferentes”.

LEIA MAIS – Churchill propôs atacar União Soviética com armas nucleares em 1951

Comandante sênior dos EUA considerou a cooperação estratégica entre China e Rússia no âmbito militar, citando como exemplo exercícios conjuntos Kavkaz 2020 (Cáucaso 2020), um sinal preocupante.

Em relação à China, Richard aponta que Pequim continua avançando nos programas de modernização do seu arsenal nuclear para cumprir as metas de longa data de negação da projeção de poder dos EUA no Indo-Pacífico e superação da nação norte-americana como parceira de segurança preferida dos países da região.

China já é capaz de executar qualquer estratégia de utilização de armas nucleares na sua região e em breve poderá fazê-lo também com alcances intercontinentais”, ressaltou o comandante sênior dos EUA, acrescentando que o gigante asiático já não é uma ameaça inferior à que representa a Rússia.

Em relação à Rússia, o comandante do STRATCOM afirmou que as armas nucleares continuam sendo um elemento fundamental da estratégia de segurança de Moscou que está concluindo a sua campanha de modernização da tríade estratégica e dos sistemas de dupla utilização.

O comandante ainda ressaltou que o armamento nuclear pode ser aplicado em resposta a um ataque convencional em caso da presença de uma ameaça à existência norte-americana.

“Portanto, nossas forças nucleares devem incluir uma gama suficiente de capacidades e atributos para que a Rússia perceba erroneamente qualquer vantagem de usar armas nucleares em qualquer limiar de violência”, sublinhou.

Mensagem do STRATCOM sobre guerra nuclear

Na terça-feira (20), o Comando Estratégico dos EUA (STRATCOM, na sigla em inglês) emitiu uma prévia de comunicado sobre a postura nuclear norte-americana.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!