Ex-presidente do COB, Carlos Nuzman é condenado a 30 anos de cadeia

ex-presidente do COB
Ex-presidente do COB foi condenado

O ex-presidente do COB (Comitê Olímpico do Brasil) foi condenado a 30 anos e 11 meses de prisão. Carlos Arthur Nuzman era réu pelos crimes de crimes de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. A sentença foi dada pela 7ª vara federal criminal do Rio de Janeiro.

O ex-chefão do esporte brasileiro foi alvo da operação Unfair Play. A polícia apurou a compra de votos para que o Rio de Janeiro fosse escolhido como sede das Olimpíadas de 2016. Como a condenação foi em primeira instância, ele pode recorrer em liberdade.

Sérgio Cabral e Leonardo Gryner, ex-diretor de operações do comitê Rio 2016, foram condenados também. O ex-governador pegou pena de 10 anos e 8 meses, enquanto Leonardo recebeu 13 anos e 10 meses.

Leia mais:

1 – Justiça ordena despejo de empresário Naji Nahas de mansão avaliada em R$ 26 MI

2 – Essencial do DCM – Cantanhêde se encanta com Moro em café da manhã: “Ele passou a sorrir”. Agora vai

3 – Flávio Bolsonaro vai se filiar ao PL aprovado por Valdemar da Costa Neto com o pai

Entenda o caso envolvendo o ex-presidente do COB e os Jogos Olímpicos de 2016

Em 2017, o jornal francês Le Monde denunciou dirigentes do COI. O veículo relatou que os executivos receberam propina para escolherem o Rio como sede dos Jogos Olímpicos. Nuzman era presidente do COB e foi o principal suspeito de intermediar a compra dos votos.

Ele acabou sendo preso em 2017 por policiais federais e agentes do Ministério Público Federal. Porém, logo saiu da cadeia e passou a cumprir prisão domiciliar. Na ocasião, os advogados do ex-dirigente disseram que a decisão era “justa” e “correta”.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link