Exclusivo: Família Jereisatti ofusca Doria em SP e Eduardo Leite ganha terreno nas prévias do PSDB

João Doria e Eduardo Leite, o casal gay do PSDB

João Doria bateu de frente com a família Jereisatti – após já ter traído Geraldo e detonado Aécio – e tomou uma coça que já entrou para a história. Os jereisattis têm negócios em São Paulo e no Brasil que superam em anos luz as consultorias a trabalhos de mestre-de-cerimônia do gestor.

Sem medo de exagero, do jeito que a coisa anda não estranhe se Doria sair pela porta dos fundos do PSDB.

O DCM não vai entrar em detalhes para não atrapalhar os processos – foi o combinado que fizemos com nossas fontes -, mas Eduardo Leite, concorrente de Doria nas prévias do partido, que vai escolher o candidato à presidência em 2022, amarrou o seu cavalo em pleno marco zero da praça da Sé e dominou a cena na capital.

A evidência responde por um grupo de WhatsApp, com o nome de Eduardo Leite SP: nunca na história do PSDB um líder conseguiu reunir pessoas tão diversificadas e significativas.

Leia mais:

1. Tasso Jereissati desiste de prévias para apoiar Leite contra Doria dentro do PSDB

2. Provável candidato do PSDB em 2022, Eduardo Leite pode perder direitos políticos

3. Doria quer sair do PSDB para tentar a presidência por partido nanico de aluguel

Intelectuais, formadores de opinião, artistas, líderes políticos, empresários de pequena, média e grande monta, gente da sociedade, um arco de assustar qualquer um, especialmente a se considerar que em torno de Doria se juntam apenas os representantes do seu pequeno núcleo – membros (nem todos) das Executivas do municipal, estadual, mais uma meia dúzia de tucanos pendurados no governo.

As prévias seguem. São Paulo é o maior colégio eleitoral, representando 25% dos delegados com direito a voto em novembro.

Nessa semana Doria disse que é um patriota e até poderia abrir mão do sonho da presidência. Antes se falava que ele iria sair e alugar uma pequena sigla para morrer de pé, lutando. Agora, nem isso.

 

 

 

 

 

 

 


Titanic para levar Eduardo Leite a Brasília

 

Quando o Titanic afundou se dizia que nada poderia deter o gigante dos mares. Não foi o que aconteceu.

Numa analogia, o que dá para dizer é que o Titanic das prévias tucanas hoje está ancorado na terra de Doria e com objetivo de levar Eduardo Leite para Brasília.

Nao sou eu que vou dizer se vai ou não encontrar um iceberg pela frente. Mas que a coisa impressiona, sim, impressiona.