Facebook não sofreu ataque digital, dizem fontes ao New York Times

Facebook no New York Times
Facebook não sofreu ataque digital, dizem fontes ao New York Times. Foto: Reprodução

Facebook e sua família de aplicativos, incluindo Instagram e WhatsApp, caíram ao mesmo tempo nesta segunda (4), tirando um grupo de plataformas de comunicação que é usada por pelo menos mais de três bilhões de pessoas no mundo. E uma reportagem de Mike Isaac e Sheera Frenkel no New York Times foram atrás das razões da queda.

LEIA MAIS:

1 – Biden reage aos Pandora Papers e fala em “reprimir esquemas fiscais injustos”

2 – Queiroga ficou com medo de ser demitido e antecipou volta

3 – VÍDEO – “A América Latina é uma grande nação frustrada”, diz Pepe Mujica

As falhas e a razão das falhas do Facebook

O grupo de aplicativos – que inclui Facebook, Instagram, WhatsApp, Messenger e Oculus – começou a exibir mensagens de erro por volta das 11h40 segundo usuários. Em cinco minutos, a rede havia desaparecido da internet. Horas depois, os sites ainda não estavam funcionando, de acordo com a Downdetector, que monitora o tráfego da web e a atividade do site.

Interrupções de tecnologia não são incomuns, mas ter tantos aplicativos da maior empresa de mídia social do mundo fora do ar ao mesmo tempo era altamente incomum. A última interrupção significativa foi em 2019, quando um erro técnico afetou seus sites por 24 horas.

Desta vez, a causa da interrupção permaneceu obscura. Após várias horas do incidente, os especialistas em segurança ainda estavam tentando identificar a raiz do problema, de acordo com um memorando interno e funcionários informados sobre o assunto.

Dois membros de sua equipe de segurança, que falaram sob condição de anonimato com o New York Times porque não estavam autorizados a falar publicamente, disseram ser improvável que um ataque cibernético tenha ocorrido porque um hack dificilmente afetaria tantos aplicativos ao mesmo tempo.

Especialistas em segurança disseram que o problema provavelmente se originou de uma configuração incorreta dos servidores da rede social, que não permitiam que as pessoas se conectassem a seus sites como Instagram e WhatsApp.

Quando esses erros ocorrem, as empresas frequentemente voltam à configuração anterior, mas os problemas pareciam ser mais complexos e exigir alguma atualização manual.

Andy Stone, um porta-voz da empresa, postou no Twitter: “Estamos cientes de que algumas pessoas estão tendo problemas para acessar nossos aplicativos e produtos. Estamos trabalhando para que as coisas voltem ao normal o mais rápido possível e pedimos desculpas por qualquer inconveniente”.