A imagem da derrota, 50 anos depois: helicóptero dos EUA foge de Cabul como fugiu de Saigon

Montagem com helicópteros americanos em Cabul e no Vietnã
EUA fogem de Cabul, como fizeram no Vietnã

Os últimos acontecimentos no Afeganistão, em que o Talibã forçou o presidente do país, Ashraf Ghani, a renunciar ao poder depois de entrar em Cabul, ressuscitaram os acontecimentos ocorridos na cidade vietnamita de Saigon, quando os Estados Unidos se apressaram para evacuar cerca de 30.000 refugiados da maior cidade do país antes caiu em abril de 1975.

Uma foto imortalizou a derrota dos Estados Unidos no Vietnã. Mostrava pessoas evacuadas embarcando em um helicóptero no telhado de um prédio. Se espalhou rapidamente nas redes sociais depois que os EUA anunciaram a implantação de emergência na quinta-feira.

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, minimizou a saída precipitada dos Estados Unidos. “Manifestamente não se trata de Saigon”, falou ao programa “This Week” da ABC no domingo.

Fuga de Cabul

Ele também confirmou que os funcionários da Embaixada dos EUA estavam destruindo documentos e outros itens antes de fugir da embaixada. Mas insistiu que “isso está sendo feito de uma forma muito deliberada, está sendo feito de forma ordeira e está sendo feito com as forças americanas lá para fazer certeza de que podemos fazer isso de maneira segura”.

Em junho, enquanto o avanço do Taleban ganhava ímpeto, o próprio Biden abordou os paralelos com Saigon – e os minimizou. “Não haverá nenhuma circunstância em que você veja pessoas sendo levadas do telhado de uma embaixada dos Estados Unidos no Afeganistão”, disse ele.

Leia mais:

1 – Janio de Freitas diz que “Bolsonaro e seu pessoal não têm as condições” para lidarem com o 5G

2 – VÍDEO: Crianças com deficiência atrapalham aprendizado das outras, diz ministro da Educação

3 – “Não há interferência política no Exército”, diz Comandante nomeado por Bolsonaro

Funcionários da embaixada dos Estados Unidos em Cabul estavam deixando o Afeganistão quando as forças do Taleban entraram na capital no domingo. O Taleban dirigiu-se ao palácio presidencial para preparar o terreno para uma “transição pacífica de poder”. Pouco depois, o ministro do Interior, Abdul Sattar Mirzakwal, também disse que haveria uma “transferência pacífica de poder” para um governo de transição.

“O povo afegão não deve se preocupar. Não haverá ataque à cidade e haverá uma transferência pacífica de poder para o governo de transição”, disse ele em um discurso gravado, de acordo com a Agence France-Presse (AFP). “A segurança da cidade está garantida, não haverá ataque à cidade, e o acordo é que a transição de poder ocorra de forma pacífica”.

Biden anunciou anteriormente que as tropas americanas encerrariam sua intervenção militar de 20 anos no país até o final de agosto. A OTAN já encerrou discretamente sua missão no país. As negociações de paz iniciadas entre os lados beligerantes no Catar no ano passado fizeram pouco progresso e agora estão paralisadas porque os dois lados falam em guerra.

Washington disse na quinta-feira que, para realizar a evacuação de funcionários americanos de sua embaixada em Cabul. Foram 3.000 soldados norte-americanos garantirão o aeroporto, 1.000 serão enviados ao Catar para apoio técnico e logístico. Enquanto 3.500 a 4.000 estarão posicionados no Kuwait para implantar se necessário.

Na quinta-feira, as autoridades americanas se esforçaram para responder a perguntas sobre a missão. Com o porta-voz do Pentágono, John Kirby, se recusando a descrevê-la como “NOE” (operação de evacuação de não-combatentes). Ele indicou que não tinha nome e evitou falar sobre evacuações.

Vietnã

A missão “NOÉ” mais famosa foi a Operação Vento Frequente, durante a qual mais de 7.000 civis vietnamitas foram evacuados de Saigon em 29 e 30 de abril de 1975 por helicóptero. Questionado sobre a imagem dos diplomatas americanos partindo sob proteção militar e as inevitáveis ​​comparações com a queda de Saigon, Kirby tentou sublinhar as diferenças.

“Não estamos eliminando completamente nossa presença diplomática no terreno”, disse ele. “Ninguém está abandonando o Afeganistão, não está se afastando dele. Está fazendo a coisa certa na hora certa para proteger nosso povo.”

O Taleban afirmou na sexta-feira que havia capturado a segunda cidade do Afeganistão, Kandahar, coroando uma blitz de oito dias que deixou apenas a capital e outros territórios nas mãos do governo.

Publicado originalmente no Daily Sabah