Fusão do PSL e DEM criou um superpartido? No Congresso ninguém acredita

União Brasil
Convenção entre DEM e PSL, em Brasília, após aprovação da fusão entre os dois partidos — Foto: Wellington Hanna/TV Globo

O DEM e o PSL aprovaram, em convenções realizadas nesta quarta-feira (6) em Brasília, a fusão da entre as duas legendas. O novo partido se chamará União Brasil e o número será o 44. A intenção da sigla é a criação de um superpartido para ter um nome próprio para disputar a Presidência da República e lançar candidatos ao governo de ao menos dez estados.

O novo partido prevê uma bancada de 81 deputados federais, ante 53 do PT, na segunda colocação. Porém, uma vez consolidada a fusão, a tendência é que o PSL perca cerca da metade da bancada. Já que os mesmos, seguiriam Bolsonaro, que está na busca de uma nova sigla.

Nos bastidores, ninguém acredita que, na dança das cadeiras, o novo partido ficará acima do PT. O momento é de instabilidade, levando em consideração que o DEM também deverá perder apoiadores. A expectativa é que a união fique abaixo até mesmo do MDB, que bancada de 34 deputados federais.

Leia também

1- Centrão fritou Guedes e votou pela convocação de ministro: “Esse já era”

2- Bolsonaro confirma que ‘mandou’ André Mendonça votar a favor do marco temporal

3- Estagiária infiltrada no STF escreveu tese defendendo doação de empresas para políticos

Processo

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda precisa aprovar a nova sigla. A cúpula do DEM crê que o processo de fusão leve três meses para ser analisado pelos ministros.

ACM Neto afirmou que a nova sigla não será governista. Entretanto, prometeu “não criar constrangimentos” a filiados que queiram apoiar o presidente. A ideia é lançar um candidato próprio.

Com a fusão, ACM Neto será secretário-geral da legenda.