VÍDEO – “Quem quer paz, se prepare para guerra”, diz Bolsonaro na véspera do 7 de setembro

Atualizado em 1 de setembro de 2021 às 15:33
Bolsonaro – Foto: Reprodução

Jair Bolsonaro (sem partido) está convocando um ato golpista para o dia 7 de setembro de 2021. O presidente está com um discurso perigoso para a democracia e prossegue em seu golpismo.

LEIA TAMBÉM:

1 – AO VIVO: CPI da Covid ouve motoboy que sacou R$ 4,7 milhões

2 – VÍDEO: “Palhaçada o STF fazer gentileza com quem vai no 7 de setembro”, diz Ailton Krenak ao DCM

O que Bolsonaro disse?

Ele disse, às vésperas do 7 de setembro: “Quem quer paz, se prepare para guerra”.

Esse é o discurso de um presidente da República?

Veja a fala completa e seu contexto.

O presidente e a CoronaVac

O governo federal quer “passar a borracha na Coronavac” para tentar retirar a primeira vacina contra Covid-19 usada no Brasil de olho na eleição presidencial de 2022.

A acusação é feita pelo coordenador-executivo do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, João Gabbardo, a partir da decisão federal de excluir o imunizante de origem chinesa formulado no Instituto Butantan do esquema de terceira dose para idosos e imunossuprimidos.​

O imunizante trazido ao país por João Doria (PSDB-SP), governador paulista que quer disputar a Presidência, é visto como seu maior ativo eleitoral.

“A redação da nota sobre a dose de reforço é política, não técnica”, afirmou Gabbardo, que foi secretário-executivo do Ministério da Saúde na gestão de Luiz Henrique Mandetta, defenestrado por discordar de Bolsonaro do manejo da crise sanitária em 2020.

Ele aponta para o fato de que o texto da Nota Técnica 27/2021 diz que “houve a demonstração da amplificação da resposta imune após a terceira dose” da Coronavac, assim como das outras três vacinas usadas no Brasil: Pfizer, AstraZeneca/Fiocruz e Janssen.