iFood nega contratação de agências para desmobilizar e atacar entregadores

Atualizado em 5 de abril de 2022 às 22:54
iFood nega contratação de agências para desmobilizar e atacar entregadores. Foto de entregador com uma mochila do iFood.
Empresa diz que não contratou agências de publicidade para desmobilizar os trabalhadores. Foto: Reprodução

O iFood, empresa brasileira que trabalha com entrega de alimentos e produtos, negou que contratou agências de publicidade para desmobilizar e atacar entregadores durante a realização de greves que demandavam direitos trabalhistas para a categoria dos entregadores.

A investigação foi divulgada pela Agência Pública na segunda-feira (4). Em nota, a empresa disse que “A Agência Pública editou uma matéria em que insinua que o iFood contrata agências de publicidade para montar perfis falsos para desmobilizar os entregadores, e isso não é verdade. O iFood só dará certo se a nossa plataforma for boa para todos.”

O comunicado diz ainda que “já iniciou uma investigação interna para assegurar que todos os seus funcionários e fornecedores continuem atuando em concordância com nosso código de conduta e ética” e que “regularmente recebemos abordagens e propostas de campanhas de diversas agências de comunicação, porém nunca tivemos relação comercial com a empresa SocialQi”.

Leia mais:

1 – Dono de agência que sabotou greve de entregadores para a iFood é marqueteiro de Doria

2 – VÍDEO – “A gente matou o Galo”: como o iFood acabou com a greve de entregadores

3 – Trabalhadores do iFood, Uber e 99 fazem greves unificadas por melhores condições de trabalho

iFood divulga ações favoráveis aos entregadores

A empresa citou a realização do 1° Fórum Nacional de Entregadores, aumento nas tarifas pagas aos entregadores, além de um seguro que cobre os funcionários. O chamado “Breque dos apps” foi uma mobilização nacional organizada por coletivos e entregadores que demandava direitos para a categoria.

A nota da empresa conclui que “Reafirmamos que nossas comunicações institucionais são realizadas apenas por canais oficiais, e que não compactuamos com geração de informações falsas, automação de publicações por uso de robôs ou compra de seguidores.”

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link