Le Monde destaca atuação do STF contra abusos golpistas de Bolsonaro

STF Le Monde
Artigo do Le Monde explica a importância do STF para combater as ações golpistas de Bolsonaro

O Supremo Tribunal Federal ( STF ) teve importante atuação na defesa da democracia brasileira contra ataques de Bolsonaro e seus aliados. A afirmação foi feita por Bruno Meyerfeld em artigo publicado no jornal francês Le Monde.

O jornalista, que é correspondente do periódico no Rio de Janeiro, afirma que o Supremo virou o “bastião da democracia brasileira”. Isto porque freou as “ações “golpistas do presidente Jair Bolsonaro”.

“Sabíamos que os brasileiros adoravam novelas e jogos de futebol. Mas há algum tempo, um novo e curioso divertimento faz furor na telinha nacional: as retransmissões ao vivo dos julgamentos do austero Supremo Tribunal Federal”, diz trecho do artigo.

O jornalista também questiona a acusação de bolsonaristas que dizem que o Supremo é tomado por “comunistas”. Ele explica que a maioria dos ministros não tem uma clara posição ideológica de esquerda.

Leia mais:

1 – VÍDEO: Armado, deputado bolsonarista persegue assaltante em SP

2 – MPF abre inquérito contra Damares por baixa execução do orçamento ministerial

3 – Após detonar a Universal, Andressa Urach anuncia que voltará à igreja: ‘preciso do perdão de Deus’

Le Monde explicou situação conflituosa entre STF e apoiadores de Bolsonaro

No dia 7 de setembro, bolsonaristas foram aos atos contra a democracia, pedindo o fechamento do STF. Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso foram os ministros mais atacados. O presidente discurso em São Paulo e Brasília e prometeu não obedecer ordens dos magistrados.

Porém, com o pouco número de apoiadores nas ruas, Bolsonaro recuou. Ele ligou para Moraes e se desculpou. Também publicou uma carta e relatou que exagerou no discurso. Na época, muitos bolsonaristas se revoltaram contra o governante, acusando-o de traição.

Os ministros do STF se posicionaram de forma firme contra os atos antidemocráticos. E, para interlocutores, prometeram não deixar o assunto de lado. Não por acaso, o presidente é investigado em inquéritos que estão no Supremo e também no TSE.