Lenio Streck cobra Bolsonaro após ataques a Barroso e Moraes: “Mal a democracia”

O presidente afirmou que Barroso entende de “terrorismo” e acusou Moraes de atuar fora das regras constitucionais

Atualizado em 13 de janeiro de 2022 às 17:05
Bolsonaro com a mão no rosto
Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar ministros do STF e questionar o sistema eleitoral brasileiro. O mandatário acusou os ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes de ameaçar o que ele chamou de “liberdades democráticas” para beneficiar a candidatura do ex-presidente Lula.

“Quem esses dois pensam que são? Que vão tomar medidas drásticas dessa forma, ameaçando, cassando liberdades democráticas nossas, a liberdade de expressão porque eles não querem assim, porque eles têm um candidato. Os dois, sabemos, são defensores do Lula, querem o Lula presidente”, disse Bolsonaro durante uma entrevista ao site Gazeta do Brasil.

Ele afirmou ainda que Barroso “entende” de terrorismo e que conseguiu sua indicação ao STF por defender o terrorista italiano Cesare Battisti.

Leia também:

1- Agressão Sexual: Príncipe Andrew perde títulos militares e da realeza britânica

2- Especialistas criticam decreto de presidente sobre cavernas

3- Vacina brasileira contra a Covid-19 começa a ser testada na Bahia

Lenio Steck cobra Bolsonaro por ataques

O jurista Lenio Streck, cobrou uma resposta dura. “Bolsonaro é multireincidente. Esses ataques fazem mal a democracia. As instituições deveriam responder duramente. Cadê o parlamento? E a PGR? Instituições são como limpadores de para brisa: funcionam bem se colocados do lado de fora do carro, se me permitem o sarcasmo.” Com informações do Conjur.

Bolsonaro também repetiu a fake news de que eleitores ao digitarem 17 nas urnas eletrônicas teriam se deparado com a foto do ex-presidente Lula. A mentira levou o TSE a cassar o mandato do deputado estadual Fernando Francischini (PSL-PR) por disseminação de fake news.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.