Lira tenta justificar ao STF por que não pauta impeachment de Bolsonaro e cita até Dilma

Jair Bolsonaro e Arthur Lira sorrindo em foto juntos
Lira e Bolsonaro têm apelidos em grupos de mensagens – Foto: Reprodução

Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), respondeu ao questionamento do Partido Democrático Trabalhista (PDT) sobre possível omissão e morosidade para analisar os pedidos de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Lira apela e cita até Dilma Rousseff, diz o site Metrópoles.

LEIA MAIS:

1 – EXCLUSIVO: Quem é e como opera o empresário que financia apoiadores de Ciro para atacar Lula

2 – Bolsonaro quer demitir Guedes para vencer a eleição

3 – Istoé coloca bigode de Hitler em Bolsonaro na capa e o chama de “mercador da morte”

Lira cita até Dilma

No processo que corre no Supremo Tribunal Federal (STF), Lira ressaltou não haver falha em sua atuação à frente da Casa Legislativa.

“O impeachment é uma solução extrema. O tempo dessa decisão não é objeto de norma legal ou regimental pela própria natureza dela”, afirmou ao STF.

Arthur Lira foi questionado pelo PDT após a Casa ter recebido 126 denúncias por crime de responsabilidade contra Bolsonaro, mas só seis terem sido analisadas (todas arquivadas ou desconsideradas). Assim, outros 119 pedidos aguardam uma decisão.

Na ação, o partido, presidido por Carlos Lupi, alega que, “ao invés de analisar os requisitos de admissibilidade dos pedidos de impeachment protocolados, para então proferir decisão no sentido de arquivar ou dar impulso oficial à denúncia formalizada, (Lira) profere declarações na mídia que sinalizam a rejeição sumária dos pedidos”.

Lira responde PDT