Live das 5 – Bolsonaro antecipa live na ONU; CPI acaba em baixaria após ataque miliciano de chefe da CGU

Ministro Wagner Rosário diz que a CGU esteve envolvida em 71 operações de fiscalização de recursos federais repassados a estados e municípios para o combate à covid-19. Ao afirmar que houve prejuízo ao erário e malversação de recursos públicos, o depoente declara que foram fiscalizados um total de R$ 4,2 bilhões, com prejuízo potencial de R$ 250 milhões e prejuízo efetivo de R$ 56,4 milhões.
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

CPI é o assunto. AO VIVO. Kiko Nogueira analisa as últimas notícias e conversa com Marcos Coimbra, sociólogo e presidente do Instituto Vox Populi. Moderação: Sara Goes.

LEIA MAIS:

1 – Exclusivo: Lava Jato suspeitava que advogada fugiu do Brasil porque marido extorquia vítimas da delação de seus clientes

2 – Exclusivo: Travado na disputa nacional, Doria quer limar Rodrigo Garcia e apoiar Alckmin em SP

Baixaria na CPI

Ministro-chefe da CGU, Wagner Rosário, tornou-se investigado da CPI da Pandemia nesta terça (21).

Isso ocorreu logo depois de chamar a senadora Simone Tebet de “descontrolada”, o que suspendeu o seu depoimento.

Decisão foi tomada pelo relator Renan Calheiros, a pedido do presidente da comissão, Omar Aziz.

Rosário foi acusado de prevaricação por não agir diante de irregularidades identificadas pela Controladoria-Geral da União no Ministério da Saúde, envolvendo o então diretor de Logística da pasta, Roberto Ferreira Dias, e de omissão na fiscalização do contrato de compra da vacina indiana Covaxin.

VEJA A LIVE DAS 5