Geraldo Alckmin articula para ser vice de Lula, mas tem pedido especial

Lula Alckmin pedido
Alckmin quer ser vice de Lula e fez pedido

O ex-governador de SP, Geraldo Alckmin está articulando para ser vice de Lula. Por mais, que publicamente, o atual tucano negue qualquer conversa, elas acontecem todos os dias. Dividido entre o PSB e o PSD, ele já deixou claro que ser vice do petista é sua ressurreição política. Isso porque acredita que a vitória está praticamente garantida e isso o levaria para o protagonismo da política nacional. Mas o médico terá um pedido ao parceiro de chapa, se ela se concretizar.

Segundo apurou o DCM com pessoas ligadas a Alckmin, ele topará ser vice, caso Lula faça o convite publicamente. Problemas menores, como candidatura a governo por SP já estão sendo resolvidas e não será um impeditivo. Ele quer ser vice e o PSB também quer indicar o nome, ou seja, todos ganham. Mas no momento em que houver a oficialização do convite, haverá ao menos uma negociação.

Alckmin entende que, para abrir mão de uma vitória tranquila em SP, ele teria direito a ao menos um pedido. E o possível candidato não esconde que irá querer uma participação mais ativa no governo Lula. A expectativa dele não é ser como Jose Alencar e muito menos como Michel Temer. A intenção é uma parceria com o petista para o trabalho.

Leia mais:

1 – App das prévias do PSDB pode ter sido alvo de ataque hacker, diz fundação

2 – Ministro astronauta tenta se livra da culpa sobre dados do desmatamento: “Estava de férias”

3 – “Não é o momento de pensar nas grandes aglomerações do carnaval”, diz porta-voz da Saúde de SP

Lula e Alckmin

Mas tudo isso ficará para as conversas formais e é tratado como algo subjetivo. Uma pessoa próxima de Alckmin afirmou que ele terá um pedido muito objetivo. O político quer o controle do ministério da Saúde. Ou seja, a ideia é que o ministro da pasta seja indicação dele e que a política pública tenha sua participação direta. Isso poderia ser um impeditivo? A reportagem questionou isso do aliado de Alckmin.

A resposta é de que não, já que, enquanto governador, ele sempre foi muito elogiado, tanto por Lula quanto por Haddad, no trato com a saúde pública. Por isso, o grupo está otimista que o petista irá aceitar a proposta. Neste momento, porém, todos deixam claro que não houve convite formal, apenas sondagens.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link