Marília Arraes acusou Tabata Amaral de copiar seu projeto de distribuição de absorventes

Veja Marília Arraes e Tabata Aamaral
Deputadas federais Marília Arraes (PT-PE) e Tabata Amaral (PDT-SP) (Foto: Lula Marques | Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

Deputada federal Marília Arraes (PT-PE) acusou a colega Tabata Amaral (PDT-SP) de copiar projetos dela que prevêem a distribuição gratuita de absorventes higiênicos em escolas e unidades de atenção primária à saúde. A informação está na Coluna de Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo em março de 2020.

LEIA MAIS:

1 – “CPI vai dar em processo e Bolsonaro que se cuide”, diz Lula

2 – É preciso proibir mensagens políticas no WhatsApp Business em ano eleitoral. Por Sérgio Amadeu

3 – “Quando o Ciro gostar dele mesmo, ele vai ver tudo melhorar”, diz Lula

A diferença entre os projetos de Marília e Tabata

Projeto de Marília foi apresentado em 2019. O gabinete de Tabata chegou a pedir que ela ficasse com a relatoria da proposta. Isso não ocorreu. E, neste ano, a pedetista apresentou projeto igual ao da petista.

Marília Arraes: “O natural seria ela ter me procurado para que nós duas, junto com a relatora do meu projeto [a deputada Natália Bonavides], buscássemos algo que contemplasse as duas propostas. E não divulgar a ideia como se tivesse partido dela”.

Tabata diz que não sabia de nada. “O meu time pediu a relatoria, como faz sempre em propostas de áreas em que atuo, e ela foi negada, como acontece com vários pedidos. Eu não tinha conhecimento do projeto”.

“Está me parecendo muito estranha essa postura dela [Marília]. Acho bastante machista, porque descobri ontem que logo que ela apresentou esse projeto, um deputado homem apresentou outro bem parecido e ela não se pronunciou.”

“Meu comentário sobre isso foi de que Tabata deveria ter me procurado, assim como procurado a relatora, e conversado sobre como incluir as duas ideias. Mas se ela quer se comparar ao deputado Boca Aberta, então é bom que revejo meus conceitos sobre ela”, responde Marília.