‘Quem se sentir à vontade, pode tirar máscara’, diz filho de Doria em evento com empresários

Filho de Doria
João Doria Neto, filho do governador de São Paulo e diretor do Grupo Doria, durante evento empresarial nesta quinta-feira (21) — Foto: Reprodução/Lide

Em evento nesta quinta (21), João Doria Neto, empresário e filho do governador do estado de São Paulo, afirmou que o uso de máscara de proteção contra o coronavírus era opcional no ambiente. A explicação era que “a maioria” dos presentes havia apresentado comprovante de vacinação ou teste negativo contra a doença.

“Acho que boa parte, a maioria, trouxe seu comprovante de vacinação ou PCR negativo. Quem se sentir à vontade de tirar a máscara, pode tirar. Todos da equipe Grupo Doria e Lide foram testados ou apresentaram a carteira de vacinação”, disse Neto.

A declaração foi dada durante o 20º Fórum Empresarial Lide. Estavam presentes: Michel Temer, ex-presidente do país, Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna e o governador João Doria (PSDB).

Leia também:

1- Felipe Neto faz lista com “mentiras e postagens absurdas” de Allan

2- Carlos Alberto de Nóbrega é internado com arritmia cardíaca

3- Caso Allan dos Santos: Relembre todas as decisões de Moraes contra blogueiro

Doria afirmou que o uso de máscara é obrigatório até o fim do ano

Após a colocação do filho, o governador iniciou seu discurso no fórum. O tucano citou dados econômicos do estado governado por ele e disse que, ao promover reformas, estava na contramão do populismo. Com informações do G1.

“Os políticos a quem respeito diziam: ‘Não faça reformas em ano par. Ano de eleição não é para fazer reformas’. Não estou aqui para fazer populismo. Se fosse populista, não tínhamos decretado a primeira quarentena do país”, disse.

“Não teríamos decretado a primeira lei tornando obrigatório o uso de máscaras – aliás, lembro que o uso de máscara é obrigatório até o dia 31 de dezembro aqui em São Paulo”, completou Doria.