Benefícios a militares e policiais vão custar R$ 27,7 bilhões ao governo Bolsonaro até 2022

Bolsonaro com militares do Exército
Bolsonaro com militares do Exército – Foto: Sérgio Lima/AFP

Desde o início do governo, Jair Bolsonaro deu benefícios a militares e policiais de ao menos R$ 27,7 bilhões. O valor vai ser usado até 2022, no fim do atual mandato.

Só em reajuste para policiais militares, civis e bombeiros o custo foi de R$ 1,64 bilhão. O benefício contempla servidores do Distrito Federal, Amapá, Roraima e Rondônia. O Habite Seguro deverá custar R$ 183,9 milhões até o fim da gestão atual. O programa é um financiamento de casas com juros mais baixos voltado exclusivamente a policiais e bombeiros. A criação de cargos comissionados na Polícia Federal também geraram ônus para os cofres públicos: R$ 23,5 milhões até o fim do próximo ano.

Para as Forças Armadas, as benesses foram ainda maiores. O aumento de salário e adicionais para militares vai custar R$ 21,16 bilhões, segundo o Estadão.

Leia também:

1 – Generais do governo reclamam de arrego de Bolsonaro

2 – Membros das Forças Armadas criticam general que comanda a Petrobras por salário acima de R$ 200 mil mensais

O valor usado para beneficiar militares poderia ser aplicado em outras áreas

Os R$ 27,7 bilhões usados para uma das bases mais fiéis do presidente comprariam 526,6 milhões de vacinas da AstraZeneca. O número seria o suficiente para dar mais de duas doses a todos os brasileiros.

Na educação, o montante poderia ser usado para construir 3,3 mil escolas públicas de ensino básico. Na saúde, compraria 180,4 mil ambulâncias. O valor também cobriria todo o custo do Bolsa Família de 2021: R$ 26,5 bilhões.

Vale lembrar que as categorias fazem parte da base eleitoral mais fiel do presidente. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 27% dos policiais militares do Brasil são alinhados ao bolsonarismo