VÍDEO: na Globo, Míriam Leitão enquadra Eduardo Leite por apoio a Bolsonaro e tucano se enrola

Míriam Leitão enquadrou Eduardo Leite em debate que a Globo promoveu entre pré-candidatos do PSDB. Imagem: Reprodução
Míriam Leitão enquadrou Eduardo Leite em debate que a Globo promoveu entre pré-candidatos do PSDB. Imagem: Reprodução

No debate promovido pela Rede Globo entre os pré-candidatos do PSDB à presidência da República, nesta terça-feira (19), a jornalista Míriam Leitão enquadrou o tucano Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, pelo apoio que deu ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no segundo turno de 2018.

Assista ao vídeo no final da página.

Leia mais:

1. “Nem sei quem é Olavo de Carvalho”, diz ao DCM líder de Paraisópolis que faz parceria com o canal bolsonarista Brasil Paralelo

2. Bolsonaro anuncia presença em rede social de extrema-direita criada por ex-assessor do ex-presidente Donald Trump

3. Ao vivo, Rede Record inventa explosão em shopping de Barueri, aciona helicóptero, cita número de feridos e não era verdade

Míriam Leitão enquadrou Eduardo Leite

“O senhor coloca uma hierarquia e diz que crise econômica é mais importante do que a democracia. Democracia, na minha visão, é o ponto inicial, a primeira trincheira. Depois disso, construímos nosso projeto econômico. Assim eu entendo e assim eu ouvi de Mário Covas, de Franco Montoro, pessoas que criaram o seu partido”, disse Míriam a Eduardo Leite, após ele se enrolar na resposta.

Assista ao vídeo abaixo.

O Globo ofereceu um mês de assinatura grátis a quem assistisse debate tucano

Para promover os pré-candidatos que disputam as prévias do PSDB, o jornal O Globo ofereceu um mês de assinatura grátis a quem assistisse ao debate, realizado nesta terça-feira (19).

Na thumbnail da live, disponível antes da conversa entre Arthur Virgílio Neto, Eduardo Leite e João Doria começar, o jornal disponibilizou um link para ganhar um mês gratuito: “Acesse o link e ganhe 1 mês de assinatura digital do GLOBO”, diz. Ao lado, um endereço com o termo “debate-assinatura”.

Para Fernando Haddad, a ideia do veículo foi “imoral e ilegal”. “Configura doação de recursos em proveito de um partido político. Alguém vai apurar?”, questionou.