VÍDEO: “Se houver repetição do que ocorreu em 2018, pessoas irão para a cadeia”, diz Alexandre de Moraes

Alexandre de Moraes em julgamento da cassação da chapa Bolsonaro-Mourão
Alexandre de Moraes em julgamento da cassação da chapa Bolsonaro-Mourão. Foto: Reprodução

Alexandre de Moraes prometeu que quem disseminar fake news em 2022 será preso. Em votação no julgamento sobre a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, o magistrado afirmou: “Se houver repetição do que ocorreu em 2018, o registro será cassado e as pessoas irão para a cadeia”.

O ministro ainda disse que “o gabinete do ódio existe, sim”. Ele será o próximo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“O lapso temporal pode ser impeditivo para uma condenação, mas não é impeditivo de absorção da Justiça Eleitoral do que deve ser combatido nas eleições de 2022”, prosseguiu.

Leia também:

1 – Bolsonaro desmente Ana Paula do vôlei para se livrar do problema Allan dos Santos

2 – Demitido por homofobia, bolsonarista Maurício Souza culpa “turma da lacração”

3 – Chamado de “burro”, Marcos Pontes responde Guedes

Moraes votou para absolver a chapa

Apesar de ter seguido o relator, que absolveu a chapa, o ministro prometeu não tolerar a mesma conduta no próximo ano.

Nesta quinta (28), a corte eleitoral decidiu pelo arquivamento de duas ações que pedem a cassação da chapa eleita em 2018. Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão foram acusados de ter cometido abuso de poder político e econômico por disparos de mensagens em massa durante a campanha eleitoral da última eleição.

Retomado nesta quinta-feira (28), o julgamento teve início dois dias antes. Três ministros já haviam votado contra a cassação, incluindo o relator, Luís Felipe Salomão. Hoje, o ministro Carlos Horbach acompanhou o relator e formou a maioria de votos pelo arquivamento.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.