MST não depredou casas em PE e Bolsonaro mentiu, concluiu polícia

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) não depredou casas em Pernambuco. Foto: Reprodução/Facebook
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) não depredou casas em Pernambuco. Foto: Reprodução/Facebook

Vídeos que circulam nas redes sociais acusando o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) de ter depredado casas construídas com recursos federais na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, em Pernambuco, são falsos. Um dos vídeos com fake news, inclusive, foi compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Um dos autores dos vídeos é um ex-candidato a vereador pelo PP, o bolsonarista Abimael Santos, que será processado pelo MST.

Além dos Sem Terra, alguns vídeos também acusavam o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e o Partido dos Trabalhadores (PT) pela depredação. A Polícia Federal disse não ter indícios de que movimentos sociais ou partidos políticos tenham qualquer vínculo com os atos de depredação.

Leia mais:

1. Folha é detonada após notícia sobre queda da desigualdade nos governos petistas sem citar Lula e Dilma

2. Deputado Luis Miranda quer investigação sobre possível espionagem de Bolsonaro

3. Marcius Melhem e Marcos Veras fazem acordo para encerrar processo por danos morais

A autoria do vandalismo ainda não foi descoberta pelas autoridades.

O bolsonarista autor da fake news diz que “se baseou em áudios e vídeos” de uma mulher se passando por líder da ocupação onde estão construídas as casas. Nesses materiais, a suposta líder diz fazer parte do MST e do MTST e fala em “tocar fogo” na cidade.

Dirigentes dos movimentos sociais desconhecem a mulher e o MST, MTST e PT sequer participam da ocupação em questão.

Com informações do site Poder360