No domingo de Páscoa, “cristãos” bolsonaristas comemoram decisão de Kassio que matará milhares de pessoas

Bolsonaro na Marcha Para Jesus

A decisão assassina e estúpida de Kassio Nunes Marques, do STF, liberando cultos e tempos contou com a comemoração inevitável de Bolsonaro.

Fez o registro da presepada nas redes sociais. A corja que o segue se encarregou do resto.

O jurista Lenio Streck fez a autópsia do despacho de Kassio. Nem a Bíblia foi respeitada.

No domingo de Páscoa, quando se celebra a ressurreição de Jesus Cristo, os bolsonaristas estão mandando para a morte milhares de brasileiros no auge da pandemia.

Temos um ministro do Supremo, um presidente da República e pastores tratando a covid-19 como se ela estivesse sob controle porque é bom para os negócios.

A Ação foi movida pela Anajure, Associação Nacional de Juristas Evangélicos, um lobby que já emplacou ministros e outros figuras nos altos escalões — entre eles Damares Alves e André Mendonça, ex-ministro da Justiça transferido para a AGU, que apoiou a liminar de Kassio.

Eles não receiam em sacrificar vidas em meio a uma praga e empurrar a sociedade para o abismo. Vão assistir enquanto milhões são imolados e atribuirão tudo à vontade de Deus.

Silas Malafaia, um sujeito que posta vídeo do picareta e corrupto confesso Roberto Jefferson incitando a violência,

está feliz que o dízimo volte a rolar em seus empreendimentos.

“Satanás” precisa ser derrotado. Das profundezas de uma abordagem paranóica, Bolsonaro como uma figura religiosa, a personificação da maldade disfarçada de bênção.

Como outras seitas apocalípticas, esses crentes não têm medo do extermínio em massa. Eles estão mais do que prontos para reabrir as portas e vier o que acontece nos próximos dias.

O número de infectados e moribundos crescente é o combustível para sua fé.

Deus nos salve de seus seguidores.