Plano de vacinação não foi aprovado, dizem seus ‘signatários’. Por Fernando Brito

Eduardo Pazuello e Jair Bolsonaro

Publicado originalmente no blog Tijolaço

POR FERNANDO BRITO

A carta de 30 profissionais apontados como “autores” do chamado Eixo Epidemiológico do que seria um Plano Nacional de Imunização dizendo que não escreveram, não leram e muito menos concordam com a definição de como se fará – quando houver vacina – a sua aplicação nos brasileiros.

O grupo técnico assessor foi surpreendido no dia 12 de dezembro de 2020 pelos veículos de imprensa que anunciaram o envio do Plano Nacional de Vacinação da COVID-19 pelo Ministério da Saúde ao STF. Nos causou surpresa e estranheza que o documento no qual constam os nomes dos pesquisadores deste grupo técnico não nos foi apresentado anteriormente e não obteve nossa anuência.

O documento é, portanto, um fraude, não há outra palavra.

E, assim, o Ministro da Saúde, que o enviou ao Supremo Tribunal Federal está incorrendo nos crimes de falso testemunho ou de falsa perícia e deve, caso não se retrate, sem processado por isso.

Mas há outra questão, mais grave e que influi sobre todos nós: é a de que, afinal, não há plano algum e nem data para que chegue qualquer vacina.