Quem é Joe Bennett, artista brasileiro removido da Marvel após elogiar Bolsonaro

Joe Bennett. Foto: Reprodução/Facebook/YouTube

A Marvel Comics removeu Joe Bennett da equipe criativa da edição de quadrinhos one-shot ‘Timeless‘. Isso acontece depois de declarações elogiosas dele ao presidente Bolsonaro. O artista brasileiro também não aparece envolvido em nenhum outro projeto da editora. Essa informação surgiu em um relatório do Comic Book Resources.

Mas quem é Joe Bennet?

LEIA MAIS:

Morre Jean-Paul Belmondo, lenda da nouvelle vague e do cinema europeu

Bolsonarista, Bennett elogiou a agressão de Augusto Nunes contra Greenwald

Benedito José Nascimento aprendeu como desenhar histórias em quadrinhos como autodidata, copiando os traços dos super-heróis da Marvel Comics nos anos 70.

Começou a atuar profissionalmente nos quadrinhos em 1985 junto ao editor Franco de Rosa, que lhe ofereceu a primeira oportunidade de trabalho na área. Com o roteirista Gian Danton, criou a A Insólita Família Titã para as revistas eróticas da Editora Sampa, o grupo a Família Titã foi criado pela dupla para homenagear a Família Marvel.

No ano de 1992, ele adotou o nome “Joe Bennett” por sugestão dos editores ao ser contratado pela Marvel, inicialmente trabalhando em histórias do personagem Ravage 2099, criado por Stan Lee. Posteriormente, ilustrou quadrinhos dos Vingadores, do Homem-Aranha, Conan, Namor, Elektra, Hulk, entre outros. Também trabalhou com Alan Moore em Supremo.

Após trabalhos bem sucedidos com o super-herói Capitão América, firmou contrato com a DC Comics, trabalhando em títulos como Aves de Rapina, Gavião Negro e a minissérie 52.

Em 2016, desenhou a história que serviu de prelúdio para o filme Batman vs Superman, dirigido por Zack Snyder. Foi indicado ao Eisner Award, na categoria Melhor Série, por The Immortal Hulk em 2019.

No mês de novembro de 2019, em sua página no Facebook, o artista comemorou a agressão cometida por Augusto Nunes contra Glenn Greenwald durante o programa de rádio Pânico da Jovem Pan.

“Augusto Nunes, seu caboclo foda!! Esse tapa foi meu também! Devia ter dado era um soco!!”.

Após a repercussão, Bennett apagou a publicação, e em seguida publicou em seu perfil pessoal um pedido de desculpas a Glenn, David Miranda e os filhos do casal. Afirmou estar aberto ao dialogo se comprometendo a refletir o que fez na época.

O cartunista Joe Bennett apoiou a agressão de Augusto Nunes contra Glenn Greenwald
Imagem: Montagem/UOL/Reprodução/Facebook/YouTube

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!