Quem é o cidadão de bem que não quis usar máscara em supermercado e provocou morte de funcionária

Danir Garbossa e Sandra: vítima do obscurantismo. (Foto: Facebook/Reprodução)

Publicado originalmente no site De Olho Nos Ruralistas

POR ALCEU CASTILHO

As cenas tomaram as redes sociais nesta terça-feira (28): o empresário Danir Garbossa, de 58 anos, morador de Contenda (PR), entrou num supermercado de Araucária, município vizinho na região metropolitana de Curitiba, e se recusou a utilizar a máscara — proteção ao contágio por coronavírus — oferecida pelo fiscal. Em seguida, socou-o. Minutos depois, enfrentou um segurança e tentou tirar sua arma. Resultado: uma mulher de 44 anos, Sandra Ribeiro, fiscal de loja da rede Condor, foi morta.

Garbossa é dono de uma empresa de agrotóxicos, a Gota Ltda, ou Gota Agr’óleo, junto com o filho homônimo. Garbossa é o sócio-administrador. A empresa com capital social de R$ 2,5 milhões foi fundada em 17 de abril de 1988 no bairro Lagoa das Almas, em Contenda, com a “fabricação de defensivos agrícolas” como atividade principal. Entre as outras atividades estão a fabricação de adubos, fertilizantes e — ironicamente — desinfetantes.

O carro-chefe da empresa é um produto chamado Agróleo, definido em peças publicitárias como “a evolução da pulverização agrícola”. Trata-se, segundo o site da Gota, de um espalhante adesivo composto por 97% de óleo natural, extraído da soja. É aplicado em conjunto com os demais pesticidas, para aumentar a eficácia da pulverização aérea.

A empresa dos Garbossa já foi multada, em 2010, pela Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Mais precisamente, pela Divisão de Fiscalização de Agrotóxicos da Coordenação Geral de Agrotóxicos e Afins.

Confira reportagem sobre o crime em Araucária:

FISCAL COMEÇOU A TRABALHAR EM DEZEMBRO NA LOJA

Moradora de Araucária, Sandra Ribeiro nasceu em Pitanga (PR) e começou a trabalhar em dezembro na rede Condor. A loja fica na marginal da Rodovia do Xisto, nome naquele trecho para a BR-476, que vai do Vale do Ribeira, em São Paulo, até a divisa com Santa Catarina.

A prefeitura de Araucária tornou obrigatório o uso de equipamentos de proteção individual nos estabelecimentos comerciais do município. A rede Condor informou, em nota, que o disparo atingiu de raspão o cliente agressor e a fiscal de loja, “que estava tentando apaziguar a situação e prestar os esclarecimentos sobre os decretos”.Sandra deixou dois filhos, um deles adolescente. Cerca de trinta funcionários reuniram-se na tarde de ontem, em frente do supermercado, de mãos dadas, para homenageá-la, em oração. Ao lado, guardas metropolitanos baixavam a cabeça, quase a completar o semi-círculo.

A rede de supermercados Condor pertence à família Zonta. Um de seus membros mais conhecidos é o piloto Ricardo Zonta. A empresa ficou conhecida nacionalmente em novembro, quando suspendeu os anúncios na Globo, em apoio ao presidente Jair Bolsonaro — o presidente que, quando tentou usar máscaras, não exatamente conseguiu.

Até as 5h30 desta quarta-feira, quando este texto foi fechado, o site da empresa não trazia nenhuma informação sobre o crime ou sobre a funcionária abatida. Em destaque, as ofertas do dia.

VEJA TAMBÉM – VÍDEO: Cidadão de bem se recusa a usar máscara, se atraca com segurança de supermercado e mulher morre baleada

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!