Secretário da Pesca, Seif viaja para Dubai em “trabalho-passeio”

O secretário da Pesa, Jorge Seif, em Dubai
O secretário da Pesa, Jorge Seif, em Dubai. Foto: Reprodução

O secretário da Pesca, Jorge Seif, viaja por Dubai para, segundo ele, “promover o país”. No último fim de semana, ele usou suas redes sociais para compartilhar a viagem. Gravou vídeo na praia e participou de confraternização com Renzo Gracie, o lutador bolsonarista de MMA.

Seif chama a viagem de “trabalho-passeio” e diz que o lugar é “top demais”. “Estamos trabalhando, não estamos passeando, promovendo o turismo da Amazônia”, alega em live.

“Lógico que isso aqui, naturalmente, é um trabalho-passeio, né? Não adianta negar e ficar de sacanagem. Tu vem para um lugar desse, vê um lugar desse… é top demais”, prossegue.

No país, ele diz ter reuniões “com vários países” e elogiou as relações diplomáticas do Brasil com os Emirados Árabes Unidos. O objetivo é tratar de negócios entre os países, mas ele não detalhou nenhum possível acordo.

Leia também:

1 – No Fantástico, médicos da Prevent Senior mostram o rosto e narram pressão por alta precoce

2 – Eduardo Moreira explica por que offshores de Guedes e Campos Neto são um escândalo

3 – Pandora Papers: na América Latina, três presidentes e 11 ex operaram em paraíso fiscais

Além de Seif, foram para Dubai Gilson Machado, Carlos Brito, Mourão e dois prefeitos

Seif embarcou para Dubai no dia 30 às 1h25. Está acompanhado de Gilson Machado, Ministro do Turismo, Carlos Brito, presidente da Embratur, e Hamilton Mourão, vice-presidente, segundo o Globo. Também embarcaram dois prefeitos. São eles: JHC, de Maceió (AL), e Fabrício Oliveira, de Balneário Camboriú (SC).

Segundo o Ministério da Agricultura, responsável pela secretaria de Seif,ele teve “reuniões bilaterais com a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, para fomentar a exportação de pescados com Emirados Árabes, e com a área de turismo de pesca esportiva”.

“O país já tem uma infraestrutura pronta e preparada para turistas estrangeiros, mas recebe poucos visitante (menos que Argentina, Caribe e até Alasca)”, argumenta a pasta.