Silêncio de Eduardo Leite após prisão ilegal no Sul não surpreende

Manifestante é presa em Porto Alegre por bater panela contra Bolsonaro. Foto: Reprodução/Twitter

Eduardo Leite, governador tucano do Rio Grande do Sul, silenciou após a Brigada Militar do seu estado prender uma mulher por bater panela contra Bolsonaro em Porto Alegre.

Até um panelaço foi convocado para as 20h deste domingo, dia em que Bolsonaro organizou uma motociata na cidade, e nada do rapaz.

Nenhuma nota, nenhum gesto, nada.

‘Seu silêncio é absurdo e conivente!’, protestou um eleitor na conta de Leite no Twitter.

Outro lembra que gestos como o de hoje passam a sensação de que a “ditadura militar está tentando se oficializar no Brasil”.

Eduardo Leite defendeu publicamente a candidatura de Bolsonaro em 2018, mas atualmente sabe-se pouco sobre ele, exceto sobre sua sexualidade – admitiu a Pedro Bial ser gay em entrevista recente na TV Globo.

Politicamente, Eduardo Leite é fraco: seu silêncio não surpreende.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!