“Tudo depende de planejamento”: as dicas que Bolsonaro dava para matar um presidente

No frigir dos ovos eles se merecem

Na já célebre entrevista em que diz que sugeriu à mulher abortar o filho Jair Renan, hoje com 21 anos e vivo porque a mãe se recusou, Jair Bolsonaro dá dicas de como é possível matar um presidente no Brasil.

Ele se referia ao então mandatário Fernando Henrique Cardoso, de quem era opositor e dizia ser merecedor do paredão de fuzilamento.

“Não é difícil matar o presidente”, disse Jair, então deputado federal. “Só tem que ter coragem. O esquema de segurança dele é falho. Por exemplo, tenho uma casa no litoral em Mambucabinha, próxima do local onde ele passeia quando vai a Angra dos Reis. Sou primeiro lugar no curso de mergulho do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. Bastava planejar. E as chances de sucesso de se cumprir a missão são grandes. Não é difícil eliminar uma autoridade no País”.

“Tudo depende de planejamento”, continuou, em entrevista publicada na revista IstoÉ Gente. “Pode-se pegar uma arma com mira e matar o presidente em Brasília. Com uma besta (espécie de arco e flecha) dá para eliminar uma pessoa a 200 metros. Até com um canivete dá para chegar no cangote do presidente. Mas quero deixar claro que não estou incitando ninguém a fazer. E não tenho nenhum plano para eliminar o presidente”.

Resumo da ópera: Se Adélio Bispo tivesse lido Bolsonaro talvez teria sido bem sucedido.

 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!