Vereadora do PSOL diz que foi obrigada a sair de casa após ser perseguida por ex-companheiro

Thais Ferreira. Foto: Reprodução/Twitter

A vereadora Thais Ferreira, do PSOL do Rio, fez uma denúncia grave nesta sexta (28) envolvendo seu ex-marido. Diz que está sendo ameaçada por ele e que não pode exercer seu cargo.

LEIA – PSOL vai à Comissão de Ética Pública contra Mário Frias por denúncias de assédio moral

Ela denunciou na rede social.

LEIA MAIS – PSOL denuncia escola militar que recita slogan de Bolsonaro e estimula alunos a serem fascistas

No Twitter:

“COMUNICADO URGENTE

Olá, sou vereadora Thais Ferreira democraticamente eleita na cidade do Rio, mulher preta, mãe, periférica, que na sua luta diária contra o racismo e o machismo, constrói liberdade nas suas ações, nas suas escolhas e nas suas possibilidades de construir vida.

Porém, hoje estou impedida de exercer o meu direito de ir e vir com liberdade, estou deslocada do meu território, fora da minha casa em um lugar seguro para mim e para meus filhos porque estou sendo ameaçada e perseguida por um ex-companheiro.

Que reproduz as violências impostas pelo patriarcado, que coloca mulheres, sobretudo mulheres pretas, em situação de vulnerabilidade.

Na noite da última quarta-feira (26) fui impedida de entrar na minha própria casa, ameaçada e desrespeitada, numa atitude agressiva desse ex-companheiro, que descontrolado e motivado pelo sentimento de posse, como se meu dono fosse, me expõe, intimida e persegue.

Venho sofrendo falsas acusações, abusos e violência psicológica por parte deste homem e frente a isso, não posso ficar calada!

Estou denunciando essa violência nas instâncias competentes, pois não podemos nos mover por vingança, mas pela luta por direitos. Se a busca por justiça pode ser uma ferramenta para garantia dos meus direitos e dos direitos dos meus filhos de SEREM LIVRES, assim o farei.

Espero com isso incentivar que todas as mulheres violentadas não sintam medo de denunciar e buscar seus direitos. Eu não terei vergonha de ser mulher, de ser preta e não serei refém de violência alguma”.

Monica Benicio, Talíria Petrone e outros nomes da esquerda manifestaram solidariedade com Thais após ela relatar essas ameaças.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!